Novo corte da Selic impacta negativamente rendimento da Poupança

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: EnvatoElements/By Rawpixe

A nova queda na taxa básica de juros, Selic, confirmada pelo Banco Central na quarta-feira (11), terá impacto direto – e negativo – nos investidores mais conservadores, que gostam de investir na Caderneta de Poupança, por exemplo.

Segundo relatório da XP Investimentos, a expectativa de um novo corte ainda em 2020, reduzindo a Selic para 4,25% ao ano, pode deixar a Caderneta de Poupança menos atrativa no mercado.

A XP divulgou levantamento informando que, nos últimos 12 meses, a caderneta rendeu 4,7%. Agora, com a Selic em 4,5% ao ano, o retorno da Poupança passará a ser de 3,15% ao ano, e seguirá perdendo para outras aplicações de renda fixa com retorno equivalente a 100% do CDI.

Nesses casos, um produto poderia render até 5,6% ano ano, mas, quando descontada a alíquota de 22,5% do IR, a rentabilidade cai para 4,3% ano ano – ainda superior ao da Caderneta de Poupança.

Simulações

O investidor também precisa ficar atento ao impacto da inflação. Para 2020, a previsão é que o índice fique em 3,60%, o que levaria à perda de dinheiro quando colocado na Poupança.

Em uma simulação feita sobre um investimento de R$ 10 mil e a Selic com três variáveis – 4,5%, 4,25% e 4% ao ano -, reportagem do Infomoney apontou que aplicações em fundos que paguem 120% do CDI são mais vantajosas, rendendo R$ 10.446 (120% CDI) contra R$ 10.315 da Poupança a 4,5%, R$ 10.421 contra R$ R$ 10.296 a 4,25% e R$ 10.396 contra R$ 10.280 em um cenário em que a Selic esteja a 4% ao ano.