Nível dos reservatórios das hidrelétricas do país está entre os mais baixos da história, diz ONS

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) afirmou nesta terça-feira (01) que o nível dos reservatórios das principais hidrelétricas do Brasil está entre os mais baixos da série histórica.

A informação vem um dia após a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidir retomar o sistema de bandeiras tarifárias, com acionamento da bandeira vermelha patamar dois, o mais caro.

O ONS é o órgão responsável por monitorar o fornecimento de energia em todo o país.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

Segundo o Estadão, o ONS afirmou que os reservatórios do Sudeste e Centro-Oeste estão com 17,7% da capacidade, inferior aos 18,9% registrados em 2019.

Agora, o armazenamento só está superior aos 15,8% verificados em 2014. No mês seguinte, em janeiro de 2015, o Brasil sofreu um apagão em 11 Estados devido a picos de consumo associados ao forte calor.

As afluências (quantidade de água que chega aos reservatórios das hidrelétricas) no Sudeste/Centro-Oeste registraram o terceiro pior resultado da série histórica entre maio e novembro deste ano – época em que se caracteriza o período seco.

No mês de dezembro, quando tradicionalmente começa o período úmido, as chuvas ainda estão abaixo da média. Para esta semana, até sexta-feira, 4, o ONS prevê afluências médias de 37% da média histórica.