Netanyahu primeiro-ministro israelense vence votação do partido

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Photo by Ivan Louis on Unsplash

Nesta sexta-feira (27), o partido Likud, anunciou que o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu venceu facilmente uma votação para manter o comando do partido. A vitória foi considera um impulso à frente do que provavelmente será uma eleição geral muito disputada em março.

Na votação de quinta-feira, Netanyahu teve 72,5 dos votos, contra 27,5% do opositor Gideon Saar. Após a derrota, Saar, twittou que apoiaria o titular “pelo bem de uma vitória do Likud nas eleições (gerais)”.

O desafio de Saar, ex-ministro da Educação e do Interior, havia aumentado as pressões sobre o primeiro-ministro de quatro mandatos, que está sob indiciamento e lutando pela sobrevivência política.

Netanyahu anunciou a vitória, dizendo aos apoiadores: “O futuro está em nossas mãos”.

“A decisão abrangente nas primárias foi uma grande expressão de confiança no meu caminho, no nosso caminho”, disse Netanyahu, acrescentando: “Agora é a hora de trazer uma vitória abrangente ao Likud e o direito nas eleições”.

No mês passado, Netanyahu foi acusado de corrupção em três episódios e duas vezes fracassou em formar um governo após eleições nacionais inconclusivas em abril e setembro.

O adversário de Netanyahu nessas eleições, Benny Gantz, do partido Azul e Branco, também não conseguiu formar uma coalizão, levando a um impasse político e a uma terceira eleição em 2 de março.

Netanyahu moveu um processo legal contra ele como uma caça às bruxas política pela mídia e uma esquerda israelense na esperança de expulsá-lo.

Gantz, que voltará a ser o principal desafiante de Netanyahu em março, tentou fazer uma distinção entre seu partido centrista e o Likud sob o comando de Netanyahu, que ele disse estar “buscando quebrar o estado de direito”.

“Enquanto o Likud continua liderado por um réu em suborno, fraude e quebra de confiança, escolheremos unidade, estado e reconciliação, levando Israel a um novo caminho”, afirmou Gantz no Twitter.

Embora os problemas não pareçam ter afetado a lealdade dos apoiadores de Netanyahu, alguns membros do Likud acreditam que seja o momento de mudar a liderança.

Netanyahu havia minimizado o desafio de Saar, falando de suas próprias credenciais de segurança e proeza internacional. Saar argumentou que é improvável que o Likud recupere o poder em março, a menos que Netanyhu se afaste.