Neoenergia (NEOE3) tem queda de 18% no lucro no 2TRI20

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Divulgação

A Neoenergia (NEOE3) reportou seus resultados do segundo trimestre de 2020 nesta terça-feira (21).

O lucro líquido foi de R$ 423 milhões, um desempenho 18% inferior ao registrado em igual período de 2019.

O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebtida, na sigla em inglês) somou R$ 1,106 bilhão, queda de 19%.

De acordo com a Neoenergia, o Ebtida foi impactado pelos efeitos do Covid-19 na atividade econômica.

Resultado financeiro

O resultado financeiro foi uma despesa de R$ 169 milhões, uma redução de 54% sobre as perdas do mesmo trimestre de 2019.

A companhia atribui o resultado à queda dos indexadores da dívida no período.

As despesas operacionais somaram R$ 711 milhões, uma diminuição de 8% em comparação com segundo trimestre de 2019.

Receita estável

A receita líquida da Neoenergia manteve-se praticamente estável, totalizando R$ 6,580 bilhões no segundo trimestre deste ano.

Enquanto a margem bruta atingiu R$ 2,037 bilhões, baixa de 8%.

Operacional

O volume de energia injetada pela Neoenergia atingiu 15,119 GWh, uma queda de 8,95%.

A energia distribuída no mercado cativo + livre totalizou 13,338 GWh, baixa de 8,28%.

Já no mercado cativo somou R$ 9,963 GWh, uma diminuição de 8,05% em relação ao mesmo período de 2019.

O número de clientes subiu 1,6% no trimestre, totalizando 14,1 milhões.

Investimentos

A Neoenergia investiu R$ 1,4 bilhão no segundo trimestre de 2020, alta de 49%.

Os aportes foram destinados principalmente para investimentos em redes das distribuidoras e transmissoras.

No semestre o CAPEX totalizou R$ 2,3 bilhões.

Dívida da Neoenergia

A dívida líquida da Neonergia encerrou junho em R$ 17,3 bilhões.

A alavancagem financeira, medida pela relação dívida líquida / Ebtida, ficou em 3,07 vez, ante 3 vezes no mesmo período de 2019.

Em 03 de julho, as distribuidoras da Neoenergia aderiram à Conta-Covid no montante total de R$ 1,7 bilhão.

Veja os destaques do balanço da Neoenergia: