Neoenergia (NEOE3) aprova captações; Rossi (RSID3) tem alteração acionária relevante

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Divulgação

A Rossi Residencial (RSID3) recebeu de seu acionista, BTG Pactual, comunicado informando que sua participação acionária na Companhia atingiu 2.524.402 ações ordinárias.

Com isso o BTG passa a deter 14,72% do total de ações da Rossi.

Isa Cteep (TRPL4) obtém licença ambiental para subestação em SC

A CTEEP (TRPL4) obteve em 30 de dezembro de 2020 a licença de instalação, emitida pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), para a subestação Ratones e equipamentos das zonas de transição da subsidiária IE Biguaçu.

A Companhia comunicou que com a obtenção da licença, as obras da subestação Ratones já podem ser iniciadas. Já o processo de licenciamento da linha de transmissão da IE Biguaçu está em andamento.

O investimento é de R$ 641milhões e a receita anual permitida é de R$ 42milhões no ciclo 2020-2021.

O prazo estipulado pela ANEEL para energização é setembro de 2023.

Neoenergia (NEOE3) aprova captações para controladas

A diretoria executiva da Neoenergia (NEOE3) aprovou nesta segunda-feira (4) a outorga de garantia para captações de suas controladas.

Desse modo, para Cosern foi estabelecido um valor de até R$ 100 milhões. Já para a Celpe, R$ 200 milhões e para Coelba, até R$ R$ 200 milhões.

A deliberação sobre a captação de capital de giro segue agora para os órgãos da administração das empresas envolvidas.

BMG (BMGB4) anuncia rerratificação de JCP

O conselho de administração do BMG (BMGB4) decidiu rerratificar o valor dos juros sobre o capital próprio (JCP) por ação ordinária e preferencial da Companhia.

Assim sendo, o valor que antes era de R$ 0,1221 passou para R$ 0,12289880655 por ação.

Conforme publicado anteriormente, o valor bruto total destinado ao pagamento de JCP soma o montante de R$ 85 milhões.

De acordo com a Companhia, o pagamento aos acionistas será efetuado até o dia 30 de abril de 2021, com base na posição acionária de 29 de dezembro de 2020.

Leia mais:

Bolsa de Valores: quais as perspectivas para 2021?

Ações estrangeiras são próximo passo para o investidor