Natura (NTCO3) espera captar R$ 6,2 bilhões em oferta pública de ações

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Reprodução Natura

O conselho de administração da Natura (NTCO3) aprovou na quarta-feira (30) a realização de emissão de ações globais com esforços restritos da Companhia.

Conforme o comunicado, na distribuição primária serão emitidas 121,4 milhões de ações, incluindo American Depositary Receipts (ADRs), a ser realizada simultaneamente no Brasil e no exterior.

A Natura informou que a oferta global tem o objetivo de acelerar o crescimento da Companhia nos próximos três anos, inclusive por meio da implementação da agenda 2030, que intenciona moldar um futuro de forma sustentável e inclusiva.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Além disso, busca a otimização da estrutura de capital, acelerando a desalavancagem e reduzindo o endividamento em dólares norte-americanos. Ao mesmo tempo a captação pretende eliminar obrigações contratuais restritivas, primordialmente mediante o pagamento das notes emitidas pela Avon com vencimento em 2022.

Com base na cotação de fechamento em R$ 51,13 na quarta-feira (30),  o montante total da oferta global é estimado em R$ 6,2 bilhões.

O preço por ação será fixado após a conclusão do procedimento de coleta de intenções de investimento e será divulgado em 8 de outubro.

Já o início de negociação das ações da oferta restrita na B3 será em 13 de outubro.

A oferta será coordenada pelos bancos Bank of America, Bradesco BBI, Citi e Itaú BBA.

Natura (NTCO3) deixará de divulgar projeções financeiras

A Natura (NTCO3) declarou ainda que optou por descontinuar a divulgação de projeções financeiras (guidance) anteriormente apresentadas.

A medida visa a alinhar sua política de divulgação de projeções com os procedimentos adotados por seus auditores independentes e demais consultores.

“Desta forma, quaisquer considerações sobre estimativas e declarações futuras relativas aos planos, expectativas sobre eventos futuros, estratégias e tendências financeiras que afetam as atividades da Companhia, incluindo quaisquer projeções anteriormente divulgados, os quais envolvem riscos e incertezas e, portanto, não são indicativas ou constituem garantias de resultados futuros, não devem ser considerados pelos investidores para fins de embasar sua decisão de investimento na Oferta Restrita”, declarou a Companhia.