Natura (NTCO3) apresenta resultado positivo no 3TRI, diz BB Investimentos

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Reprodução Natura

A Natura (NTCO3) reportou um resultado positivo no balanço do terceiro trimestre de 2020, avaliou o BB Investimentos.

Em relatório divulgado na sexta-feira (13), os analistas afirmaram que destaque do trimestre ficou no expressivo crescimento de vendas em três das quatro divisões de negócios.

A receita líquida consolidada do Grupo Natura&Co foi de R$ 10,4 bilhões, 31,7% superior no ano.

Juliano Custódio. Henrique Bredda. Luiz Barsi. Gustavo Cerbasi.

Estamos Ao Vivo!

Segundo o BB, o desempenho positivo deveu-se tanto pelo crescimento em moeda constante das receitas nas divisões Natura&Co Latam (+20,1% a/a), Aesop (+19,9% a/a) e The Body Shop (+8,2% a/a), bem como pelo impacto positivo em decorrência da desvalorização do real no período.

No que se refere à Avon Internacional, a mesma segue apresentando queda de receita em moeda constante (-7,3% a/a), apesar de ser em menor escala frente aos trimestres anteriores.

Margens avançam

A margem bruta consolidada da Natura atingiu 64,5% no terceiro trimestre de 2020, alta de 0,6 p.p no ano.

Conforme relatório do BB Investimentos, a alta na margem bruta decorre, sobretudo, de uma melhora expressiva na margem bruta na divisão The Body Shop, dada por redução dos descontos e maior volume nos canais de vendas online e diretas.

Do mesmo modo, a margem Ebitda ajustada consolidada foi de 15,8%, um acréscimo de 4,0 p.p. a/a.

O resultado veio acima das estimativas do BB, dado pelo resultado da margem bruta superior e de um rígido controle das despesas.

Por outro lado, a margem líquida da Natura não acompanhou o mesmo movimento e atingiu 3,7% neste trimestre.

O BB destacou que, apesar da queda de 1,1 p.p. na margem líquida anual, esse resultado é positivo, pois marca o retorno do resultado líquido da Companhia para o positivo.

Recomendação de compra

Por fim, considerando o ganho de 51,9% os últimos 12 meses, e 27,4% em 2020 nos papeis da Natura, o BB Investimentos revisou o preço-alvo no final de 2021 para R$ 58,20 (antes R$ 43,90).

“Ainda enxergamos espaço para a continuidade dessa alta, motivo pelo qual elevamos nossa recomendação para Compra”, informou o BB.

Dentre as alterações nas estimativas, o BB destacou aumento no crescimento de receita em 2020, dada a capacidade do Grupo em manter fortes vendas mesmo com as lojas físicas fechadas, além do impacto positivo decorrente da desvalorização do real frente ao dólar.

Além disso, foi levado em consideração a margem bruta maior em função de uma redução da concessão de promoções e o forte controle de despesas com vendas e administrativas.

Natura lucra R$ 377 mi no balanço do 3º trimestre

A Natura (NTCO3)  reportou lucro líquido consolidado R$ 377,7 milhões no terceiro trimestre deste ano, praticamente estável na comparação anual.

Há um ano o lucro no mesmo período ficou em R$ 376,8 milhões.

No critério atribuído aos acionistas controladores o lucro subiu 1,3%, a R$ 381,7 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) reportado somou R$ 1,457 bilhão, alta de 32,8%, com margem de 14% (+1.p.p.).

Excluindo custos de integração, resultado do crescimento da receita, melhora da margem bruta e disciplina de custos em todos os negócios, a empresa teve um Ebitda ajustado de R$ 1,547 bilhão, com margem de 14,8% (+3,3 p.p.).

A Natura &Co alcançou receita líquida consolidada de R$ 10,4 bilhões, alta de 31,7%.

Leia mais:

BTG: BRF (BRFS3) apresenta bom conjunto de resultados

Magazine Luiza (MGLU3), Via Varejo (VVAR3) e Eletrobras (ELET6) se destacam na divulgação dos números do 3T20