“Não tenho pretensão de concorrer em 2020”, garante Fernando Haddad

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Divulgação

Candidato derrotado do PT nas últimas eleições para presidente da República, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, assegurou que não pretende concorrer no pleito municipal que acontecerá em 2020.

Em entrevista para a Rádio Guaíba, do Rio Grande do Sul, Haddad, que foi o escolhido para substituir Lula após o ex-presidente se tornar inelegível, garantiu que não pensa em voltar a ocupar o cargo que foi seu entre 2013 e 2016.

“Não pretendo concorrer e não se trata de cálculo eleitoral ou de preservar para outras campanhas, até porque não acredito nisso. Mas não tenho essa pretensão de concorrer em 2020. Preciso realmente me reorganizar e de um fôlego para continuar colaborando, como eu venho colaborando com os partidos progressistas do Brasil”.

Guia definitivo sobre Renda Variável  e os Melhores Investimentos para 2021

Lula já afirmou, após deixar a prisão, que tem intenção de articular uma chapa com Haddad e Marta Suplicy para ganhar uma das prefeituras mais importantes do País em 2020, mas a resistência do ex-prefeito pode colocar uma pá de cal nessa ideia antes mesmo de ela ganhar corpo.

Haddad não negou, no entanto, que concorrer novamente à Presidência da República em 2022 pode estar em seus planos. Desde que, segundo ele, seja longe de Ciro Gomes, do PDT, que também tentou derrotar, sem sucesso, Jair Bolsonaro no pleito de 2018.

“É ruim para a democracia. Ele foi candidato por três vezes. Acho que o discurso dele às vezes se perde. A gente não sabe onde ele está. Com quem ele está aliado. É uma crise de identidade”, disse o petista.