Multiplan (MULT3) quer reabertura de shoppings antes do Dia das Mães

Tatiane Lima
Jornalista, redatora sênior. Tecnóloga em Recursos Humanos e MBA em Comunicação e Marketing. Apaixonada por empreendedorismo criativo. Atuei nos três setores, com hard news, jornalismo on, off e redação publicitária.
1

Crédito: Divulgação/Multiplan

O presidente e fundador da Multiplan (MULT3), José Isaac Peres, declarou defender a reabertura dos shoppings por todo o país no início de maio, segundo o Valor Econômico.

A ação poderia privilegiar o movimento do comércio para o Dia das Mães. Entretanto, segundo o empresário, o retorno às atividades deve ocorrer a partir de um protocolo rígido de prevenção e controle.

“Estamos prontos para começar a funcionar em meio expediente, controlando o ingresso de pessoas e outras medidas, como mudanças de dutos e sistemas de ar condicionado”, afirmou ao Valor.

Peres disse ainda ao Valor que contratou um infectologista para direcionar a operação em relação à higiene e de descontaminação.

Atualmente, a Multiplan é proprietária de 19 shoppings centers e a concessão de isenção aos lojistas soma, aproximadamente, R$ 300 milhões.

O fechamento das unidades paralisou o recolhimento de aluguéis e outras taxas relacionadas à manutenção dos espaços.

Peres acredita ainda que esse valor deve continuar aumentando caso os centros comerciais se mantenham interditados.

“Nossa empresa é estrutura, é capitalizada, mas a gente tem compromissos para pagar também. Se continuar fechado, não sei como a gente vai sobreviver”, disse ao Valor.

Com quase 80 anos, Peres mantém trabalho na Multiplan

Além disso, o líder da Multiplan se mostrou preocupado com a possibilidade de uma “convulsão social”, em decorrência do desemprego. Por isso, afirmou ao Valor que tem defendido a reabertura dos shoppings junto às autoridades. Inclusive, esteve recentemente com o ministro-chefe da Casa Civil, general Braga Netto, para tratar do assunto.

“É preciso entender que não podemos agravar mais essa crise. Para isso, é preciso haver uma interlocução do Estado com setores de produção”, esclareceu.

Apesar dos quase 80 anos, o empresário não se considera parte do grupo de risco. E revelou que mantém a rotina de trabalho em escritório da Multiplan, na zona oeste do Rio de Janeiro.

“Eu não tenho comorbidade, não sofro do coração, nem do pulmão, não tenho diabetes. A imunidade é alta. Se tiver algo, terei no máximo uma gripe, mas me protejo”, explicou. “Mas muitos funcionários da empresa estão em home office.”