Multiplan (MULT3) e BRMalls (BRML3) investem R$ 30 mi na Delivery

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)

A Multiplan (MULT3) e a brMalls (BRML3) informaram nesta segunda (54) que fizeram aporte de R$ 30 milhões na startup Delivery Center

A Delivery é uma plataforma de integração de varejos online e físico.

Desse valor, R$ 18,6 milhões serão investidos pela Multiplan, cuja participação será elevada para 26,5% do capital social da Delivery.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Além disso, do montante total do aporte, R$ 9 milhões serão financiados pela brMalls.

Cyrela Commercial Properties (CCPR3) é uma das sócias da Delivery junto o grupo Trigo e a Bloomin’ Brands. Não foi informado o valor do aporte da CCP.

Demanda

“O novo investimento, motivado pelo sucesso da estratégia de mall as a hub, é alavancado pela demanda deste serviço durante a pandemia”, diz comunicado da brMalls.

“A operação possibilitará que a Delivery Center consolide sua presença nos centros urbanos já atendidos e acelere a expansão de suas unidades para novas cidades”, acrescenta a Multiplan.

Para os lojistas dos malls integrados, a nova rodada de aportes deve impulsionar seus canais de vendas e pontos de contatos com novos e atuais clientes.

Atualmente, a Delivery Center conta com 40 centrais de entregas distribuídas por 17 cidades e 8 estados.

A empresa contabiliza 3 mil lojistas integrados ao serviço.

A companhia dispõe de centrais de entregas distribuídas por São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, e mais 13 cidades.

Prevê a inauguração de novas unidades nos principais centros urbanos do Brasil no próximo ano.

Sobre a Delivery Center

A Delivery Center é um ecossistema que integra lojistas físicos, marketplaces e shoppings.

As centrais ficam em locais estratégicos para receber os pedidos de consumidores, coletar os itens junto aos lojistas e fazer a entrega rápida.

Com isso, os shoppings, inseridos em grandes centros urbanos, funcionam como centrais de distribuição.

Servem tanto para compras efetuadas por aplicativos, quanto por plataformas próprias e de terceiros (“malls as a hub”).

Mini-índice Bovespa: o que é e como funciona esse minicontrato

Paulo Guedes: o superministro enfraquecido

Melhor investimento: onde investir durante e após a crise