Movida (MOVI3) aprova emissão de até R$ 600 mi em debêntures

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

O conselho de administração da Movida (MOVI3) aprovou, nesta quarta (14), a emissão de até R$ 600 milhões em debêntures.

É a quinta emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, em duas séries.

“As debêntures farão jus a juros remuneratórios correspondentes a 100% da variação acumulada das taxas médias diárias dos Depósitos Interfinanceiros DI, over extra-grupo”, diz a companhia.

BDRs| Confira os papéis disponíveis para Investimentos

Vencimentos

Será acrescido exponencialmente de sobretaxas (spreads) ao ano, conforme indica a Movida:

  • 1ªsérie: sobretaxa (spread) equivalente a 2,50% ao ano;
  • 2ªsérie: sobretaxa (spread) equivalente a 2,95% ao ano.

O valor nominal unitário das debêntures será amortizado conforme abaixo:

  • 1ªsérie: em 1 parcela a data de vencimento das debêntures da primeira série, em 15 de outubro de 2023;
  • 2ªsérie: em 2 parcelas, a primeira paga em 15 de outubro de 2024; e a segunda, em 15 de outubro de 2025

Reforço de liquidez e expansão da frota

“Os recursos obtidos pela companhia por meio da oferta restrita serão destinados para reforço de liquidez, alongamento no perfil de dívida e gestão do caixa”, explica a Movida.

“Vão financiar ainda a renovação e expansão da frota dos veículos das suas controladas, na gestão ordinária de seus negócios”, completa.

Taesa (TAEE11): pagamento e amortização de R$ 477,5 milhões

A Taesa (TAEE11) anunciou que realizará o pagamento de juros e amortização no total de R$ 477,5 milhões.

Esse montante será pago aos detentores das debêntures da 2ª e 3ª séries da 3ª emissão de debêntures da Taesa, “todas nominativas, escriturais, simples, não conversíveis em ações”, lembra a companhia..

Foram emitidas em 12 de novembro de 2012.

O pagamento de juros e amortização será feito em 15 de outubro de 2020. Os valores exatos, informa a empresa, são os listados nas tabelas abaixo:

Leia também:

Moody’s avalia que Pix pode diminuir receitas dos bancos em até 8%

Correios: projeto de privatização chega à Presidência

Com IPO, subsidiária da Eztec (EZTEC3) quer atuar em galpão logístico