Moody’s reduz desempenho de PIB brasileiro com défict de 1,6% em 2020

Jéssica De Paula Alves
Jornalista e produtora de conteúdo

Crédito: Agência Brasil

A agência Moody’s, de classificação de risco, passou a ver uma contração de 1,6% no PIB brasileiro em 2020. Com capacidade limitada de reação, junto ao o déficit fiscal e a dívida relativamente alta e virtude ao novo coronavírus. Em janeiro, o PIB era projetado com um aumento de 2,0%, informou o site Extra.

Em 2019, houve crescimento de 1,1%, mas foi o pior desempenho em três anos. Somente no primeiro semestre de 2020, a economia brasileira vai encolher 3,5%, segundo estimativas da Moody’s. E lembrou das medidas anunciadas pelo governo e o Banco Central de suavizar o impacto econômico e apoiar empresas e segmentos vulneráveis ​​da sociedade.

“No entanto, o déficit fiscal e a dívida relativamente alta estão restringindo a capacidade do governo de fornecer uma resposta fiscal mais forte. Portanto, esperamos um efeito significativamente negativo (da crise) no emprego e no crescimento.”,  afirmou a agência no texto

Contudo, outra previsão da Moody’s é sobre as expectativas para a performance das economias de todos os países do G20. Menos Arábia Saudita. Estas tiveram contração de 0,5% neste ano para o grupo, ante prognóstico de expansão de 2,6% em novembro passado.

A agência avaliou que uma redução “forte” do PIB em alguns países emergentes no segundo trimestre é “inevitável”. Devido tanto a restrições domésticas quanto a uma queda acentuada na demanda externa”.

Mesmo quando chegar o momento de recuperação, a Moody’s calcula que a retomada dos mercados emergentes será mais lenta que a de nações desenvolvidas, segundo o Extra.


Aproveite as oportunidades e aumente a rentabilidade dos seus investimentos.

Preencha seus dados abaixo e conte com especialistas para ajudar.

Se preferir, ligue direto para 4007-2374