Monitor do PIB, da FGV, aponta recuo de 0,7% na atividade em abril

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/FGV

A FGV divulgou nesta quarta-feira (16) o Monitor do PIB, que apontou retração de 0,7% na atividade econômica em abril, em comparação a março e crescimento de 0,3% no trimestre móvel findo em abril, em comparação ao findo em janeiro.

Na comparação interanual a economia cresceu 12,3% em abril e 5,3% no trimestre móvel findo em abril.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Em termos monetários, estima-se que o PIB no acumulado do ano até abril de 2021, em valores correntes, foi de R$ 2,745 trilhões.

“O elevado crescimento da economia em abril com relação ao mesmo mês do ano passado deve-se a comparação com uma base deprimida, tendo em vista que em abril do ano passado a economia atingiu a maior queda na série histórica iniciada em 2000. Isso fica evidente quando analisada a evolução do PIB contra os meses imediatamente anteriores, onde a atividade econômica não tem apresentado desempenho tão robusto”, afirma o coordenador do estudo, Claudio Considera.

Ele complementa que ainda é cedo para afirmar que a economia está crescendo de forma sustentável. “Para que isso ocorra é necessário que um percentual maior da população esteja vacinado”, diz.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

monitor do PIB

Reprodução/FGV

Monitor do PIB: consumo das famílias

O consumo das famílias cresceu 4% no trimestre móvel findo em abril em comparação ao mesmo período do ano passado.

Foi registrado crescimento em todos os componentes do consumo, com destaque para o crescimento significativo dos produtos duráveis (29,1%) e semiduráveis (24,2%). É importante destacar que o consumo de serviços cresceu pela primeira vez desde janeiro de 2020.

Monitor do PIB: formação bruta de capital fixo

A formação bruta de capital fixo cresceu 17,3% no trimestre móvel findo em abril em comparação ao mesmo período do ano passado. Mais uma vez, pelo quarto mês consecutivo, todos os componentes apresentaram crescimento, sendo o principal destaque o componente de máquinas e equipamentos.

Monitor do PIB: exportação

A exportação apresentou crescimento de 9,5% no trimestre móvel findo em abril, em comparação ao mesmo período do ano passado. Esse resultado deve-se ao crescimento de todos os segmentos exportados, com exceção dos produtos da extrativa mineral.

Importação

A importação apresentou elevado crescimento de 20,7% no trimestre. Este resultado foi influenciado, principalmente, pelo crescimento de bens intermediários.

Outras projeções para o PIB

O Banco Central divulgou na segunda-feira (14) o IBC-Br, Índice de atividade econômica considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB).

O indicador avançou 0,44% em abril, ante recuo de 1,59% em março. No entanto, o resultado ficou abaixo da projeção do mercado, que era de alta de 0,55%.

Na comparação anual, o IBC-Br subiu 15,92%.

No trimestre, a alta é de 1,29%, com alta de 6,79% em comparação com o mesmo trimestre do ano passado. No ano, a alta é de 4,77% e, em 12 meses, há recuo de 1,20%.

IBC-Br é mensal, divulgado pelo Banco Central, ao passo que o PIB é divulgado trimestralmente pelo IBGE.

Já o Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central toda segunda-feira, com as expectativas das instituições financeira para os principais dados econômicos do país, tem projeção de alta de 4,85%, na oitava semana de alta sequencial. Há um mês, era 3,45%.