Money Week: conheça as estratégias de Alfredo Menezes, um veterano do mercado

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Foto/Divulgação

Aos 58 anos, Alfredo Menezes é um veterano do mercado financeiro. Começou no BCN na década de 80 e foi tesoureiro do Bradesco, onde trabalhou até 2015.

Depois de se dedicar nos últimos anos ao seu family office, ele lançou em 2019 uma gestora de investimentos, a Armor Capital, onde é CEO. Os produtos estão começando a chegar às plataformas das corretoras, e com fama de serem bem arrojados.

“O Alfredo consegue ler o mercado e perceber os movimentos como ninguém”, disse João César Tourinho, ex-tesoureiro do Safra, ao site Brazil Journal.

Conheça a FinTwit, o maior fórum de finanças do mundo.

Hoje o Twitter é pauta na Money Week.

“Hoje em dia, as pessoas acham que um bom algoritmo faz tudo. Mas ter alguém que opera há décadas e sabe gerenciar risco em grande volume é um diferencial e tanto”, complementou.

O sócio fundador da Armor Capital é um dos participantes da próxima edição da Money Week, o maior evento online e gratuito de investimentos da América Latina. A conferência vai acontecer entre 23 e 27 de novembro.

A chegada no mercado financeiro

Formado em administração, Alfredo Menezes diz que “não escolheu sua profissão”.

Mas foi sua experiência como office boy na corretora Magliano e as aulas particulares que dava de engenharia econômica que o levaram “naturalmente” a percorrer uma trajetória profissional no mercado financeiro.

De 1985 a 2001, Alfredo trabalhou no Banco BCN. Foi ali que alcançou o cargo de diretor de Tesouraria do banco ao lado de José Acar.

Depois, em 2001, com a venda do BCN para o Bradesco, Alfredo passou a ser responsável pela tesouraria do Bradesco.

Em 2012 foi promovido a diretor executivo gerente, cargo que ocupou até 2015. Assim, foi no Bradesco que Alfredo ganhou fama de trader agressivo operando lotes de DI e dólar.

No mercado financeiro, foi membro do conselho da B3 e diretor na Anbima.

De 2016 a 2019, Menezes dedicou-se ao seu family office. Ali operava o dinheiro próprio e de amigos. E, neste ano, fundou a Armor Capital, onde também é responsável pela gestão e membro do conselho consultivo.

Sobre a Armor Capital

Gestora de trading, a Armor Capital foi criada por Alfredo Menezes para oferecer produtos de alta volatilidade, mas também com alta rentabilidade.

“Temos agilidade na tomada de decisões estratégicas e táticas nos mais diversos mercados. Isso tanto em contextos voláteis quanto de incerteza, buscando sempre maximizar a relação risco-retorno”, explica a empresa.

A empresa opera hoje com três fundos multimercado, sendo dois para investidores qualificados: Armor Shield FIC FIM CP, Armor AXE FIC FIM CP e Armor Prev FIM.

As principais posições dos fundos da empresa de Alfredo Menezes estão em títulos de dívida de empresas brasileiras.

Porém, em vez de ter debêntures emitidas no mercado do Brasil, a exposição da Armor está em papéis que as mesmas companhias emitem em captações feitas no exterior. A visão de Alfredo é que a taxa de juros oferecida pelas empresas nas emissões externas é maior.

O portfólio está aplicado em juros e posições de “long and short” na B3 (aposta na alta de algumas ações).