Mobly (MBLY3) planeja próximos passos, com internacionalização

Matheus Miranda
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Após ter captado R$ 812 bilhões no IPO em fevereiro, a Mobly (MBLY3) começa a fazer planos. Um dos projetos é a internacionalização das operações da companhia.

Primeiro, ela pretende entrar no mercado norte-americano, e depois no mercado europeu. Esse plano deve começar a ser executado ainda neste ano.

De acordo com o site NeoFeed, em um primeiro momento, a empresa adotará um modelo no qual já atua no Brasil, que é de seller em lojas online como Magazine Luiza, Via Varejo, B2W, entre outras.

Outro projeto da Mobly é também ampliar a linha de produtos. Atualmente, a empresa atua na venda de produtos como estofados, cadeiras de escritório entre outros itens para salas de jantar. Agora, a companhia pretende ampliar seu portfólio para armários, closets, mesas e racks.

Mobly (MBLY3): busca de novos perfis de consumo

Outra mudança em está na busca de novos perfis de consumo. Pelo planejamento da companhia, isso deve ser alcançado graças a uma nova categoria dentro de seu marketplace: a categoria voltada para pequenas reformas.

Esse portfólio deve incluir produtos como ferramentas. Assim, é esperada a entrada de novos tipos de consumidores. Com essa ampliação de seu leque de ofertas, a companhia busca também aumentar seus resultados financeiros.

No ano passado, por exemplo, a Mobly alcançou uma receita líquida de R$ 603,1 milhões. Isso representa um salto de 48,2% frente ao ano anterior. Além disso, a empresa alcançou uma base de clientes de 985 mil consumidores e um volume bruto de mercadorias que atingiu R$ 950,3 milhões.

Empresa registra prejuízo no quarto trimestre

No quarto trimestre do ano passado, a Mobly registrou prejuízo líquido de R$ 23,6 milhões. No mesmo período do ano anterior, a empresa havia obtido lucro líquido de R$ 686 mil.

No acumulado de 2020, a empresa o prejuízo total registrado foi de R$ 40,2 milhões. Isso significa um aumento de 5,3% nas perdas do acumulado de 2019, que foi de R$ 38,2 milhões.