Mitre (MTRE3) registra queda de 58,8% nas vendas líquidas no 1TRI20

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Pixabay

A Mitre (MTRE3), construtora e incorporadora, reportou ter registrado queda de 58,8% no volume de vendas para o primeiro trimestre de 2020.

O anúncio, divulgado nesta segunda-feira (20), leva em conta somente os resultados operacionais preliminares, sujeitos à revisão da auditoria.

Ao todo, as vendas atingiram R$ 33,7 milhões no primeiro trimestre deste ano. No mesmo período do ano passado as vendas alcançaram R$ 81,9 milhões.

Segundo a companhia, a variação ocorreu sobretudo pela ausência de lançamentos no trimestre. Por outro lado, no primeiro trimestre de 2019 foram lançadas 316 unidades, totalizando R$ 94 milhões.

A Mitre declarou ainda que, em função da quarentena, os stands de venda em São Paulo foram fechados provocando uma queda de 50% nas vendas até o momento.

Diante do novo contexto econômico, a plataforma digital de vendas se mostrou um importante recurso para manter as vendas. Segundo a companhia, no primeiro trimestre deste ano, 39% dos processos de venda já se iniciavam através contrato online.

Atualização Covid-19

A companhia informou ainda não paralisou suas atividades devido à pandemia pelo novo coronavírus.

Dessa forma, os colaboradores do escritório continuam o trabalho home-office. Além disso, o andamento de todas as obras foi mantido, respeitando os rígidos controles sanitários exigidos para a ocasião.

Nesse sentido, a companhia adotou rotina de monitoramento de temperatura dos colaboradores, além de fornecer EPI’s específicos e evitar a concentração de pessoas dentro do mesmo ambiente.

Sobre os lançamentos futuros, a Mitre declarou que será avaliado levando em consideração o andamento da quarentena e os efeitos da crise econômica.

A companhia destacou ainda que possui uma posição robusta de caixa decorrente do recente IPO, dando liquidez financeira para fazer frente aos prováveis impactos sobre a economia.