Ministro Paulo Guedes admite dificuldade em implementar agenda liberal

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Em entrevista ao jornal O Globo deste domingo (2), o ministro da economia, Paulo Guedes, revelou que tem encontrado dificuldades em implantar um programa liberal.

“Eu tinha uma fé um pouco ingênua de que tudo seria muito mais rápido e de que as transformações seriam muito mais profundas. Eu estou só recalibrando tudo um pouquinho para baixo, mas sem mudar em nada a direção, a esperança”, declarou o ministro.

Segundo Guedes, o apoio de diversos setores à sua agenda também não saiu como o previsto. Até o momento, somente a Reforma da Previdência foi aprovada, de modo que segue emperrada as reformas Administrativa e Tributária.

Guedes diz que costuma medir em percentual o apoio de Jair Bolsonaro à agenda liberal. Nas eleições de 2018, segundo ele, era de 100%. Depois, caiu para 99% — e, aos poucos, essa taxa foi diminuindo.

Até que, agora, diz ele, está em 65%, embora nos momentos mais críticos o presidente tenha bancado o seu Posto Ipiranga no cargo.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

Na entrevista ao Globo, Guedes reconhece que a aderência ao seu plano de trabalho em Brasília é menor que imaginava.

“É uma falta de reconhecimento ao trabalho”

“Estou tendo que lutar dez vezes mais do que eu pensei que fosse lutar. Porque a aderência é um pouco menor do que eu pensei. Mas sem reclamação. É a democracia. Nas horas críticas, o presidente sempre nos apoiou. E o Congresso reformista tem nos ajudado também. Eu acredito na dinâmica de uma grande sociedade aberta”, disse Guedes.

Ao ser questionado sobre as críticas de que seus planos não saíram do papel, Guedes rebateu:

“É um negacionismo dizer que não temos plano, que não estamos fazendo nada, que promete e não entrega. Isso dói. Isso é uma falta de reconhecimento ao trabalho, uma negação de coisas que são autoevidentes e empíricas”, disse.