Ministro: acordo entre Opep e Rússia deve estabilizar mercado petrolífero

Rebeca Torres
null

Crédito: Carolina Antunes/PR / Wikimedia Commons

Foi festejado nesta sexta-feira (10) pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, o acordo estabelecido entre a Arábia Saudita e a Rússia que prevê corte na produção de petróleo por dois meses, de acordo com reportagens dos jornais O Globo e Valor Econômico.

Albuquerque participou de encontro virtual com ministros de Energia do G20.

”O Brasil congratula a Arábia Saudita e os países da Opep+ pelo acordo de ontem, que contribuirá para a estabilização do mercado de petróleo”, disse ele.

Acordo marca trégua entre Rússia e Arábia Saudita

O acordo marca a trégua entre Rússia e Arábia Saudita, dois dos maiores produtores de petróleo do mundo. Com isso, a redução será de 10 milhões de barris por dia no decorrer dos dois meses.

O pacto é uma tentativa de redução da oferta de petróleo no mundo, para que seja evitada uma queda ainda maior dos preços internacionais diante da pandemia do novo coronavírus.

O acordo envolve os países da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados, que formam a Opep+.

Petrobras e sua importância

Em seu discurso, o ministro frisou que a Petrobras reduziu sua produção em 200 mil barris de petróleo por dia, representando assim 20% do total de exportações de petróleo do país.

”A Petrobras também reduziu a produção de combustíveis em suas refinarias, em razão da retração dos mercados internacionais e da queda do consumo interno, em decorrência da Covid-19”, acrescentou o ministro.