Ministério da Infraestrutura inicia fusão de estatais

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Pixabay

O Ministério da Infraestrutura iniciou o processo de unificação de duas empresas estatais com sobreposição de finalidades.

São a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) – que realiza estudos técnicos para concessões de transportes – e a Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S/A – responsável pelas ferrovias brasileiras.

O anúncio foi feito ontem (19). Ambas terão funcionários e atribuições incorporados à nova empresa, que será chamada Infra S.A.

BDRs| Aprenda mais sobre essa classe de Ativos

As informações são da Agência Brasil.

Eficiência

“A implantação da Infra S.A., que vai incorporar a Valec e a EPL, fará o Minfra deixar de ter duas empresas dependentes do Tesouro Nacional com prejuízo acumulado para o surgimento de uma nova”, informou Marcelo Sampaio, secretário-executivo do Ministério da Infraestrutura.

“Vai reduzir custos de funcionamento, ser autossuficiente e competitiva, aumentar a produtividade e ampliar a eficiência na estruturação de projetos de infraestrutura”, acrescenta.

“A ideia é sempre pensar a logística de transportes, estruturando o futuro, sem qualquer descontinuidade ao que está em andamento atualmente”,

Padrões para a governança

O plano de fusão das estatais deverá ser apresentado no prazo de 90 dias e a previsão é de que todo o processo seja concluído em 270 dias.

Durante o prazo inicial, consultores apresentarão os resultados do modelo de funcionamento da Infra S.A., com padrões para a governança do projeto e o alinhamento estratégico com os principais executivos das empresas.

Segundo a pasta, avaliações trimestrais serão feitas para acompanhar o desenvolvimento e a performance da nova estatal.

A empresa responsável pela unificação, a Consultoria Falconi, prevê uma companhia mais enxuta com os cortes de gastos administrativos, e mais ágil.

Haverá investimentos em conhecimentos gerenciais e técnicos para os funcionários.

A projeção também cita ganhos de eficiência e aumento de produtividade para a Infra S.A.

A criação da Infra S.A. é a primeira investida do governo federal em fusão de estatais.

*Com Agência Brasil

Leia mais:

Guedes: governo planeja IPO de banco digital da Caixa após crise

CVC (CVCB3) registra prejuízo de R$ 252 mi no 2TRI