Ministério da Agricultura quer reverter decisão da China sobre importação de frigoríficos brasileiros

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução / Fotospúblicas

A China resolveu suspender as importações de três unidades processadoras de carne no Brasil, mas o Ministério da Agricultura espera reverter a situação.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

Em entrevista para a CNN Brasil, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, informou que a precaução do país asiático em relação ao coronavírus não atingiu somente o Brasil, mas que tentará resolver a crise o mais rápido possível.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

“Não foi só do Brasil que houve suspensão. Eles decidiram cortar importações de plantas da Alemanha, dos Estados Unidos, da Argentina e Irlanda. Nós esperamos reverter o mais rápido possível”.

O Ministério não confirmou oficialmente todos os frigoríficos com os quais os chineses suspenderam os negócios, mas, de acordo com a rede de televisão, as plantas afetadas foram as das empresas Marfrig (MRFG3), em Vargem Grande (MT), da Agra Industrial em Rondonopólis (MT) e da Minuano (RS) em Lajeado.

Por sua vez, o Ministério da Agricultura informou aos chineses que o Ministério Público havia interrompido as operações da JBS (JBSS3) em Lageado (RS).

Os benefícios de se ter um assessor de investimentos

Justificativa

Em nota ao Canal Rural, o MAPA confirmou que a “Administração-Geral das Aduanas da China (GACC, em inglês) não apresentou justificativas formais para os embargos”.

E completou: “Preocupado com novos surtos de Covid-19 identificados próximos à Pequim, nas últimas semanas o governo chinês tem descredenciado as licenças para exportação de indústrias de alimentos de diferentes países, como Alemanha e Reino Unido”.

Os chineses alegam, no entanto, que o embargo se deu por conta da contaminação de funcionários por Covid-19, embora não exista qualquer evidência de que o vírus seja transmitido através do consumo de alimentos.

A CNN divulgou que, mesmo sem qualquer suporte científico, a embaixada da China no país passou a traduzir notícias sobre a disseminação da doença para o mandarim e enviar as informações ao seu país, sem aguardar uma comunicação oficial das autoridades brasileiras. Dessa maneira, chegaram às três plantas suspensas unilateralmente.

A ministra Tereza Cristina explicou que a situação está sendo conversada desde que a suspensão aconteceu e mostrou confiança em ver o incidente resolvido.

“Nós estamos reunindo informações técnicas, temos que traduzir tudo para o mandarim, vai tudo pela embaixada da China aqui no Brasil. O clima é muito bom, nós vamos reverter”.

A China é um dos maiores importadores de carne do Brasil, que tem 102 plantas de frigoríficos habilitadas a exportar o país.

Apenas em 2020 o aumento de exportação de carne bovina para os chineses subiu 30%, enquanto os de carne de porco (suína) tiveram mais de 160% de aumento.

Planilha de ações: baixe e faça sua análise para investir