Governo: Plano Safra 2020/21 promete mais recursos e menos juros

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução/MAPA

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) anunciou que o Plano Safra 2020/2021 entrou em vigor a partir desta quarta-feira.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

De acordo com nota publicada no site oficial, os produtores rurais já podem acessar os recursos para financiamento nos bancos que operam com crédito rural e nas cooperativas de crédito.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

O governo federal disponibilizou R$ 236,3 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional, valor 6,1% (mais R$ 13,5 bilhões) superior em relação à safra anterior.anunciou a entrada em vigor do novo Plano Safra.

O dinheiro poderá ser acessado até o dia 30 de junho do ano que vem, de acordo com o órgão.

Divisão do dinheiro

Segundo o Ministério da Agricultura, a divisão dos recursos liberado no Plano Safra 2020/21 será feita da seguinte forma:

  • Até R$ 179,38 bilhões para custeio na lavoura, comercialização e industrialização;
  • R$ 56,92 bilhões para investimentos.

Em nota no site oficial, o Ministério informou que “o volume do financiamento contribuirá para garantir a continuidade da produção no campo e o abastecimento de alimentos no país durante e após a pandemia do novo coronavírus.”

Os benefícios de se ter um assessor de investimentos

Pequenos e médios produtores

A nota do Ministério da Agricultura também explicou como ficará o Pronaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar.

Segundo o órgão, os pequenos produtores rurais terão R$ 33 bilhões para financiamento pelo Pronaf com juros de 2,75% e 4% ao ano, para custeio e comercialização.

Aos médios produtores rurais serão destinados R$ 33,1 bilhões por meio do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), com taxas de juros de 5% ao ano (custeio e comercialização).

Nos financiamentos para grandes produtores, a taxa anual de juros será de 6% para custeio e de 7% para investimento.

Planilha de ações: baixe e faça sua análise para investir