Mini dólar: tudo o que você precisa saber para investir

Ronaldo Araújo
Encontre mais informações sobre criptoativos visitando WWW.RONALDOARAUJO.COM.BR

Crédito: Businessmans hand holding a small hundred dollar bill in his finger tips. Bill is a mini replica of US One Hundred dollar bill. Horizontal format over a white background.

“Mini Dólar, tudo o que você precisa saber!”

A procura pelos contratos de mini dólar comercial é enorme entre os participantes do mercado brasileiro, perdendo apenas para as negociações nos contratos futuros de DI (juros).

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, saiba quais são as melhores atitudes e aplicações para multiplicá-lo

Apesar de serem bastante acessíveis e práticos, recomendamos que você entenda primeiro o que é e como funciona esse instrumento financeiro.

Com essa finalidade, elaboramos esse tutorial para abordar não somente as partes técnicas de negociação, mas também as dicas importantes antes de você apertar o botão de compra ou venda no seu home broker.

O que são instrumentos derivativos?

Antes de entender o que são os contratos de mini dólar, devemos explicar primeiro o que são os derivativos (também conhecidos como contratos futuros).

Estes instrumentos financeiros oscilam em função de outro ativo do mercado. Assim, podemos dizer que os derivativos derivam dos ativos. Estes últimos são o objeto de real existência, pois não têm data de validade. Já os derivativos, por serem contratos, sempre tem uma data de vencimento previamente acordada.

No caso dos “minis”, a oscilação se dá em função da taxa de câmbio de reais para dólares. Dessa forma estabelecem a compra e venda da moeda a um determinado preço, em uma data futura.

De onde vem a denominação “mini”?

Idealizados para dar maior acesso aos investidores pessoa física, esses contratos representam apenas 20% de um contrato de dólar cheio.

Um contrato cheio equivale a US$50 mil, ou seja, os mini contratos representam um contrato de US$10 mil dólares. O resultado disso é uma menor quantia requerida, menor variação, menor risco e, consequentemente, menores margens.

Para que servem os mini contratos de dólar?

Ao contrário do que você vai ler em 90% dos tutoriais de mercado e sites financeiros, os derivativos foram originalmente criados para a proteção (hedge) dos agentes financeiros contra as oscilações do ativo objeto (nesse caso do dólar).

É errado especular com mini contratos? Obviamente, não! Esses contratos são excelentes ferramentas para especulação no mercado. Todavia o investidor (ou trader) deve conhecer os riscos inerentes e possuir sólidas ferramentas analíticas para prever a oscilação da moeda, dando grande ênfase para a análise gráfica.

Como funcionam os mini contratos de dólar?

Caso sua intenção seja especular como mini contratos de dólar, o raciocínio básico para a sua negociação reside na previsão da taxa de câmbio, ou seja, para qual direção o cotação do dólar se movimenta.

Como já mencionado, a análise técnica representa uma ferramenta eficaz para essa tarefa. No entanto, o investidor também pode contar com análises do cenário macroeconômico, como a liquidez de dólares na economia local, condição econômica brasileira e americana, riscos locais ou internacionais, taxas de juros e afins.

Lotes mínimos e variação de pontos

A negociação pode ser feita a partir de 1 contrato, nesse caso cada pontos de oscilação representa R$10,00 reais de ganho ou prejuízo.

A matemática é simples.

Resultado financeiro = quantidade de contratos x R$10,00 x variação de pontos

Alavancagem

Os contratos de mini dólar são alavancados, ou seja, você não precisa dispor de US$10 mil dólares para negociá-los e pode movimentar um capital muito maior do que realmente tem em conta.

Não é necessário mencionar que isso é uma faca de dois gumes, pois possibilita maiores ganhos mas também expõe os investidores a maiores riscos.

Margens

Encontramos a explicação ideal do que é margem no livro Mercado Financeiro, por Eduardo Fortuna:

“As margens de garantia… são uma espécie de caução que o investidor tem de depositar para operar nesse mercado. Ela deve ser suficiente para cobrir o valor de certo número de ajustes diários, ou seja, a volatilidade do preço do ativo específico”.

São aceitas como margem: dinheiro, ações e até títulos de renda fixa (geralmente ativos financeiros com alta liquidez). O valor das margens pode mudar de acordo com a volatilidade do mercado e você deve se informar com o seu assessor ou corretora sobre as taxas aplicadas no momento.

Quais são as características técnicas indicadas pela B3?

Confira a seguir as especificações fornecidas pela própria B3 a respeito do mini contrato de dólar.

Local de negociação: B3 (Brasil, Bolsa, Balcão).

Objeto de negociação: Taxa de câmbio de Reais (BRL) por Dólares Comerciais (USD).

Código de negociação: WDO.

Tamanho do contrato: USD10.000,00 (dez mil dólares dos Estados Unidos da América).

Cotação: BRL por USD1.000,00.

Variação mínima de apregoação: BRL0,50 por USD1.000,00.

Lote padrão: 1 contrato.

Data de vencimento: 1º dia útil do mês de vencimento do contrato.

Meses de vencimento: todos os meses.

Liquidação no vencimento: financeira (ou seja, não prevê a entrega física da moeda).

Negociação: ocorre das 9:00h às 18:00h, em períodos normais.

Como são os vencimentos dos mini contratos?

Conforme já mencionado, todos os meses ocorrem vencimentos dos contratos de mini dólar. Eles se dão segundo um código, no qual cada letra representa um mês do ano. Acompanhe a seguir os meses de vencimento com sua respectiva letra.

F: Janeiro

G: Fevereiro

H: Março

J: Abril

K: Maio

M: Junho

N: Julho

Q: Agosto

U: Setembro

V: Outubro

X: Novembro

Z: Dezembro

Exemplo: Mini dólar com vencimento em jun/17: WDOM17

De que forma se dá sua negociação?

Todas as corretoras oferecem acesso aos contratos de mini dólar por meio das plataformas de Home Broker, com a corretagem variando de instituição para instituição.

As operações podem ser feitas tanto na expectativa de alta (valorização) como na queda (desvalorização) por meio das operações de venda a descoberto.

Existe tributação?

Com certeza!

Além da corretagem (para as corretoras) e emolumentos (para a BM&F), as operações em mini dólar são tributáveis em 15% sobre o lucro líquido nas operações normais e 20% nas operações de day trading. Lembrando que o investidor é responsável pelo recolhimento do imposto de renda.

Qual é a conclusão?

Como já mencionado, os contratos do dólar representam uma excelente ferramenta para buscar ganhos no mercado financeiro de forma alavancada (especulação) ou para a proteção dos investidores das oscilações da moeda (caso você seja um exportador, por exemplo).

Para os especuladores, a alta alavancagem desses instrumentos financeiros possibilita grandes retornos, especialmente para os investidores com recursos mais limitados. Tem-se que atentar apenas para o controle de risco, de modo que um movimento adverso de mercado não consuma todo o capital alocado como margem de garantia.

Estude e compare seus investimentos em FIIs

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado