Mercado de minério de ferro deve ficar pressionado em 2021, diz Eleven

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: CSN/Divulgação

Relatório divulgado pela Eleven prevê que o minério de ferro deverá ficar pressionado em 2021. Já para a siderurgia, a expectativa é que o trimestre de 2021 deva ser marcado pela recomposição de estoques e uma demanda ainda elevada, que deve manter os spreads em alta.

Assim, a análise da Eleven sobre o setor, conduzida pelos analistas Tasso Vasconcellos, Felipe Ruppenthal e Lucas Chaves, recomenda a compra de Gerdau (GGBR4), Metalúrgica Gerdau (GOAU4), Usiminas (USIM5), Vale (VALE3), Bradespar (BRAP4) e Aura Minerals (AURA 33).

Por outro lado, os analistas mantêm recomendação neutra para CSN (CSNA3) e Ferbasa (FESA4).

Simule o rendimento de seus investimentos em Renda Fixa e calcule retorno das aplicações

Produção de minério e aço comprometida

Durante o lockdown a capacidade de produção dos principais produtores de minério e de aço foram comprometidas. As siderúrgicas listadas reduziram sua capacidade produtiva, desligando alguns de seus altos fornos e fechando algumas linhas de laminação.

Mas a China, principal motor do setor, continuou com a economia aquecida e não diminuiu sua produção de aço no período.

Assim, a demanda crescente aliada aos fechamentos de capacidade encontrou poucos produtos à venda, reduzindo os estoques da cadeia global a níveis baixos, causando um aumento de preços generalizado no setor.

Por exemplo, o minério de ferro subiu 78%. Já a bobina a quente teve alta de 41% e o vergalhão valorizou 44% em 2020.

Vantagens para as empresas

Desta forma, a Eleven prevê que a Vale ainda deve se beneficiar dos elevados preços para o minério de ferro.

Já a Gerdau deve aproveitar o forte cenário da construção civil previsto para 2021.

E Usiminas deverá ter uma retomada mais rápida do que a prevista com o segmento de aços planos.

A Aura deverá se beneficiar do preço do ouro em patamares elevados, além de ter um planejamento sólido de aumento de produção e novos projetos que já começaram a ser implementados em 2020 e devem seguir fortes em 2021.

Alteração de preços

As alterações de preços-alvos para as empresas analisadas pela Eleven são baseadas em uma nova curva de preços de minério de ferro de acordo com a recente alta da commodity. Além da recuperação de spreads tanto para a bobina quente comparados com o IO 62% quanto para o vergalhão turco, calculados em cima do preço da sucata.

Assim, para 2021 a Eleven usou um preço médio de US$125/t para o minério de ferro, convergindo para sua média histórica de cinco anos de US$ 74/t em 2024.

Confira os preços-alvo sugeridos pela Eleven dos ativos.

Preços-alvo da Eleven, janeiro de 2021

Se você quer saber mais sobre o mercado de ações e como investir, preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato.