MGCR11: novo fundo imobiliário da Mogno fará primeira captação

Carla Carvalho
Graduada em Ciências Contábeis pela UFRGS, pós-graduada em Finanças pela UNISINOS/RS. Experiência de 17 anos no mercado financeiro, produtora de conteúdo de finanças e economia.
1

O Mogno Certificado de Recebíveis Imobiliários High Grade (MGCR11) fará a sua primeira oferta pública para captação de até R$ 120 milhões. A data limite de entrada no fundo é 6 de outubro.

O MGCR11 é um fundo imobiliário (FII) de papel, que investirá prioritariamente em certificados de recebíveis imobiliários (CRIs)  indexados à inflação e ao CDI. Nesse sentido, a intenção do gestor é aproveitar a possível elevação do CDI no longo prazo, buscando o equilíbrio entre os dois indicadores.

O preço por cota será de R$ 100, e cada investidor deverá adquirir, ao menos, 10 cotas.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

  • Leia este outro artigo  para conhecer os tipos de fundos imobiliários disponíveis no mercado brasileiro 

Características do MGCR11

O fundo imobiliário terá gestão ativa da Mogno Capital e administração do BTG Pactual. Será destinado a investidores em geral, e seu prazo de duração é indeterminado.

Custos

Quanto aos custos, haverá taxa de administração + gestão de 0,95% ao ano sobre o patrimônio líquido. Além disso, no valor de R$ 100 correspondente a cada cota, há R$ 4,43 referente a taxas de distribuição. Por fim, não será cobrada taxa de ingresso dos subscritores da primeira emissão de cotas do Fundo.

Distribuição de resultados

Em relação aos resultados, o MGCR11 deverá distribuir a seus cotistas 95% do total auferido com base em demonstrativos semestrais. Nesse sentido, os rendimentos serão distribuídos mensalmente até o 5° dia útil do mês subsequente ao do recebimento dos recursos pelo fundo.

Estratégias da gestão do MGCR11

Segundo a estratégia do gestor, o fundo terá um sistema de rating interno, que inclui a avaliação de riscos de crédito, garantias e acompanhamento.

Como já vimos, o título tem papéis indexados à inflação e, também, ao CDI. Isso porque o gestor acredita que as taxas de juros deverão se manter em patamares baixos por, no mínimo, mais dois anos.

Dessa forma, esperam que o mercado de crédito para financiamento de empresas seja beneficiado no Brasil. O motivo é que as companhias brasileiras possuem um histórico de endividamento inferior à media dos outros países.

Recomendações

Conforme parecer da Eleven Financial, a recomendação é de entrada na oferta do MGCR11.

Nesse sentido, seus analistas acreditam que, com base no pipeline do fundo e nas condições de mercado dos FIIs, pode-se realizar os investimentos entre 3 e 6 meses.

Além disso, estimam um dividend yield de 6,5% ao ano para os próximos 12 meses. Segundo avaliação a Eleven, isso está em linha com a média dos fundos high grade atualmente disponíveis no mercado.

Por último, seus analistas reiteram a recomendação de entrada mesmo admitindo que o MGCR11 não apresenta diferenciais em comparação a outros FIIs. Isso porque, na sua avaliação, o potencial de retorno do fundo está adequado ao risco dos ativos propostos pela gestora. Para isso, contribui o rigor da Mogno em relação à análise de crédito.

  • Você sabia que os Fundos Imobiliários são uma forma rentável e mais fácil de investir em imóveis? Confira este vídeo