Ibovespa futuro abre em alta de 2,24%, em linha com NY

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pexels

O Ibovespa futuro abriu em alta de 2,24%, aos 80.000 pontos, superando a variação dos mercados futuros de Nova York, mas acompanhando o otimismo externo com as reaberturas de estabelecimentos.

A abertura parcial da economia norte-americana mantém os mercados futuros de Nova York em terreno positivo, com cerca de 1% de ganhos na manhã de terça-feira (28). Isto apesar de nova queda nos preços do petróleo WTI.

Nova York

A reabertura no Alasca, Geórgia, Carolina do Sul, Tennessee, Texas e outros estados dos Estados Unidos, anima os investidores. As ações ligadas ao setor varejista são as que mais sobem. Este deve ser o segmento mais impactado pela volta dos consumidores às lojas pós-quarentena.

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

No entanto, o CEO da DoubleLine, Jeffrey Gundlach, afirmou em relatório divulgado pela CNBC que os investidores precisam estar atentos à possibilidade de novas baixas nas bolsas, semelhantes às de março. Naquele mês, as bolsas alcançaram mínimas históricas.

“A empolgação não pode ignorar a perda de 26 milhões de empregos e o mal-estar social que isto gera”, disse. Ele se refere ao total de novos pedidos de seguro-desemprego solicitados nos EUA em pouco mais de um mês devido à crise do coronavírus.

“Um novo teste da baixa é muito plausível”, complementou.

  • S&P: +1,16%
  • Nasdaq: +1,05%
  • Dow Jones: +1,37%

Balanços

Duas empresas divulgaram seus balanços referentes ao primeiro trimestre nos EUA nesta manhã.

A Caterpillar registrou um recuo no seu lucro por ação de US$ 3,25 no primeiro trimestre de 2019 para US$ 1,60 agora. A receita somou US$ 10,6 bilhões, queda de 21% na mesma base de comparação. A empresa informou que não fará previsões a respeito dos resultados de 2020 em função da “contínua incerteza econômica global”, de acordo com a CNBC.

A 3M reportou um lucro por ação de US $ 2,16 e receitas de US $ 8,08 bilhões no primeiro trimestre, um crescimento de 2,7% na comparação anual. A companhia disse que registrou fortes resultados em sua unidade de segurança pessoal, em razão da produção de máscaras de respiração N95 em meio ao surto de Covid-19.

Petróleo

Segue a preocupação com a forte diminuição da demanda global por petróleo e a pouca capacidade de armazenamento.

O fundo norte-americano United States Oil (USO) afirmou que venderia seus contratos de WTI para junho e se concentraria nos contratos de longo prazo.

  • Brent (julho 2020): US$ 23,07 (-0,74%)
  • WTI (junho 2020): US$ 12,78(-15,02%)

Europa

Os mercados na Europa registram alta generalizada de mais de 1%.

O banco espanhol Santander anunciou uma queda de 82% em seu lucro líquido no primeiro trimestre.

O suíço UBS teve um aumento de 40% em seu lucro líquido.

As ações da Lufthansa estão em alta depois que o governo alemão anunciou uma ajuda de 9 bilhões de euros para a companhia aérea.

Hoje ainda, Carrefour e Novartis reportam seus balanços.

  • DAX, Alemanha: +1,67%
  • FTSE, Inglaterra: +1,70%
  • CAC, França: +1,75%
  • FTSE MIB, Itália: +2,88%
  • Stoxx 600: +1,94%

Ásia (fechamento)

Os mercados asiáticos fecharam mistos nesta terça.

O HSBC, com sede em Londres e ações listadas em Hong Kong, anunciou hoje uma queda de 48% no lucro líquido em relação ao primeiro trimestre de 2019. A projeção era de queda de 35,7%. O HSBC tentou amenizar a má notícia, afirmando que o crédito está em recuperação no mercado chinês.

  • Nikkei, Japão: -0,06%
  • Xangai, China: -0,19%
  • HSI, Hong Kong: +1,22%
  • ASX 200, Austrália: -0,16%
  • Kospi, Coreia: +0,59%