Mercados em baixa generalizada no aguardo de discursos em Davos

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução / Pixabay

Com a volta do feriado do dia de Martin Luther King nos Estados Unidos, os índices futuros de Nova York operam em queda generalizada, acompanhando os movimentos da Europa e o fechamento na Ásia.

Às 6h30, o S&P recuava 0,36%, Nasdaq caia 0,46% e o Dow Jones desvalorizava-se 0,28%.

Nesta terça-feira (21), as atenções voltadas para o Fórum Econômico Mundial, quando o presidente norte-americano Donald Trump e o vice-premiê chinês, Liu He, discursam pela manhã.

Descubra novos caminhos para multiplicar seu patrimônio. Aprenda hoje a investir R$ 300 mil com os melhores desempenhos.

Após assinarem a primeira fase do acordo comercial na semana passada, a expectativa é que falem sobre os termos acertados entre os dois países. Alterações climáticas também devem estar no radar dos participantes do fórum.

Europa e Ásia em baixa

Na Europa e na Ásia, os mercados estão em baixa. O índice Nikkei fechou com queda de 0,91%, Shanghai recuou 1,41% e Hong Kong desabou 2,81%.

O mesmo movimento segue nas principais bolsas da Europa: Dax (-0,47%), Londres (-1,04%), CAC (-0,95%) e MIB (-1,06%).

Lenta recuperação

Os investidores ainda estão repercutindo as expectativas traçadas pelo Fundo Monetário Internacional, que na véspera afirmou que as perspectivas econômicas globais “permanecem lentas” e que reduziu suas previsões de crescimento para 2019 e 2020 para 2,9% e 3,3%, respectivamente.

“A recuperação projetada permanece incerta. Continua a depender de recuperações em economias emergentes estressadas e com desempenho insatisfatório, à medida que o crescimento nas economias avançadas se estabiliza próximo aos níveis atuais”, afirmou a economista-chefe do FMI, Gita Gopinath, em comunicado.

Surto de coronavírus

Adicionalmente, os investidores monitoram o surto de um novo coronavírus, que já está sendo comparado ao surto de SARS de 2003, que vitimou cerca de 800 pessoas. O surto acontece às vésperas do início do grande feriado do calendário lunar chinês, em 24 de janeiro, quando há grandes deslocamentos populacionais.

Hong Kong rebaixada

Outro fator que impacta os mercados asiáticos foi a notícia de que a agência de classificação de risco Moody rebaixou Hong Kong de Aa2 para Aa3.

Banco do Japão mantém taxa de juros

Ainda no Oriente, o Banco do Japão definiu, nesta madrugada, que mantém sua taxa de juros de curto prazo inalterada em -0,1%.