Mercado Livre de Energia: os desafios dos novos consumidores

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução / Norte Energia

Energia é um dos assuntos mais complexos para compreensão de quem compra este insumo à sua empresa. E faço aqui uma autocrítica. Por muitos anos o mercado de energia ficou fechado discutindo o setor somente com quem é do setor, falando um dialeto próprio e considerando que todos estavam compreendendo.

Mas como buscar evolução sem realmente integrar e agregar valor a um outro público que faz a economia girar: o consumidor?

Sendo mais assertivo, como levar os benefícios do Mercado Livre de Energia (onde você compra de quem desejar) para as pequenas e médias empresas?

Conheça planilha que irá te ajudar em análises para escolha do melhor Fundo Imobiliário em 2021

Energia e seus avanços

Os avanços nos últimos 20 anos em relação à regulamentação associada ao Mercado Livre de Energia permitiram que muitas empresas saíssem do mercado regulado, em que se é obrigado a usufruir do insumo da distribuidora local, em busca de contratos mais acessíveis e menos custosos neste ambiente de livre contratação.

O Mercado Livre representa, atualmente, 30% de todo insumo consumido no Brasil, segundo dados da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), e o potencial de crescimento, dada a regulamentação atual, pode ainda chegar a 34% de expansão.

Tanto que, apesar das incertezas econômicas e com a pandemia, observamos recentemente a migração de mais uma grande leva de consumidores.

É fato que grandes indústrias e companhias de grande porte têm em seus quadros especialistas para gerir e compreender seus contratos de energia.

Com o aumento de participação do nicho PME, fica ainda mais clara a necessidade de sairmos deste nosso ambiente de “iniciados” no setor e irmos ao encontro desse potencial consumidor de pequeno e médio porte, levando informação especializada e de confiança.

É importante escutar e entender as dores e os anseios de quem legitimamente não entende em sua totalidade o funcionamento de compra e venda de energia na prática e que precisa, mais do que nunca, reduzir seus custos.

O que é o Mercado Livre de Energia?

Já ouvimos questionamentos se é um marketplace, uma loja física, uma bolsa de valores.

Aqui na Trix dizemos sempre que é uma possibilidade.

É uma opção para que o consumidor saia do mercado regulado e passe a comprar energia no ambiente livre, escolhendo com quem negociar e discutindo as condições que fazem sentido para seu negócio.

Contratar energia

Eliminada a etapa de explicar o setor, vêm outros desafios: o que seria exatamente contratar “só a energia” para a minha empresa? Haveria como identificar este montante na conta que a distribuidora envia mensalmente para a minha empresa? Continuarei pagando alguma coisa para a distribuidora? E quanto aos impostos?

Há ainda que se destacar que os diferentes segmentos que movem a economia também consomem energia de forma muito característica.

Assim, não é adequado, por exemplo, comparar a quantidade de energia necessária para manter um pequeno mercado que funciona em horário comercial durante todo o ano, com um hotel que tem maior movimentação em determinados horários do dia e períodos do ano.

Ou seja, é preciso entender quanto e quando o consumo de cada negócio se verifica, em qual período do dia, quanto é afetado pelas sazonalidades, por exemplo. Isso implica em conhecer melhor o próprio negócio.

Benefícios do Mercado Livre

Seria fácil vir aqui e falar dos benefícios de migrar para o Mercado Livre. A flexibilidade de escolher seu fornecedor, redução de custos de consumo, maior previsibilidade de gastos, possibilidade de comprar de uma fonte limpa.

No entanto, reconhecemos que, para que o consumidor possa fazer sua escolha da melhor forma, precisamos ser uma “ponte” para o seu esclarecimento antes de vender energia. Isso é fato.

Por Tathiane Simões, diretora Comercial de Varejo da Trix Energia