Mercado imobiliário projeta retomada em ‘V’; veja outros destaques

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Pexels

As operações apuradas no mercado imobiliário evidenciam quedas nas vendas de abril e maio, mas que foram amenizadas ao longo de junho, despertando otimismo entre empresários e analistas, conforme informou o jornal O Estado de S.Paulo.

Dessa forma, a recuperação em “V” pode estar a caminho de se tornar realidade no mercado imobiliário de São Paulo.

Os dados de junho ainda estão sendo computados, mas os dados preliminares apontam que as vendas já chegaram a 85% do esperado para o mês.

“É um resultado espetacular para este momento em que ainda há receio de sair de casa e o atendimento tem restrições de horário e fluxo”, avalia o presidente do Sindicato da Habitação (Secovi-SP), Basílio Jafet.

Alguns fatores contribuíram para a melhora das vendas em junho. Primeiro, vem a redução média da taxa de juros de financiamento.

O mercado estima que a redução de cada ponto porcentual nos juros represente um desconto de 8% na parcela do financiamento.

De acordo com o Credit Suisse, os imóveis estão relativamente baratos, uma vez que a alta de preço não acompanhou a inflação. Pelos cálculos do banco, isso resultou numa desvalorização média de 25% nos últimos cinco anos das moradias nas capitais.

Reforma tributária

Conforme o Estadão, o ministro da Economia, Paulo Guedes, vai pessoalmente entregar a primeira fase de sua proposta de reforma tributária na próxima terça-feira.

De acordo com o ministro, na primeira fase, será encaminhado um projeto de lei para juntar PIS e Cofins num único tributo, o IVA federal, que deverá ter uma alíquota entre 11% e 12%.

A ideia é que a proposta seja complementar as duas Propostas de Emenda à Constituição (PECs) que já estão na comissão mista no Congresso – e que são mais abrangentes, ao incluir o ICMS (um tributo estadual) e o ISS (que é municipal).

Covid-19 fortalece argumentos para taxação de transações

Em função dos impactos derivados da pandemia, o ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu a taxação de transações financeiras.

O imposto sobre transações só seguirá após um debate para determinar se vale a pena criar o novo tributo e qual seu tamanho.

Mas, quanto maior a receita a ser gerada, mais ampla poderá ser a desoneração da folha, já que a ideia é usar os recursos arrecadados para esse fim.

Juros baixos preocupa BC

Conforme reportagem do Valor, a taxa básica de juros da economia na mínima histórica está provocando uma forte movimentação no sistema financeiro e o Banco Central monitora de perto essa movimentação.

Os juros baixos impulsionam resgates da renda fixa, ampliação das captações líquidas na poupança e saída de investimentos para o exterior.

O BC está monitorando essa mudança nos portfólios dos investidores, pelos seus potenciais efeitos negativos sobre a estabilidade financeira. Isso pode representar um limite para mais quedas da taxa Selic.

No entanto, Fabio Kanczuk, diretor de política econômica do BC, afirmou que, por enquanto, não há um desequilíbrio preocupante.

Prorrogação de contratos sem licitação somente com privatização

O novo marco legal do saneamento prevê que as estatais somente poderão renovar contratos após privatização.

De acordo com o Valor, a permissão para que as estatais pudessem prorrogar os acordos foi um dos principais pleitos dos Estados durante as negociações. O artigo que autorizava a renovação por um prazo adicional de 30 anos foi incluído em um acordo com os parlamentares para a aprovação do projeto.

No entanto, o presidente Jair Bolsonaro vetou o artigo que permitia a renovação de contratos sem licitação.

A derrubada do veto criou uma revolta entre parlamentares e estatais, que agora tentam derrubar o veto.

Atacadão (CRFB3) inicia e-commerce

O Atacadão (CRFB3) começou sua operação de e-commerce no país neste mês de julho.

A companhia realiza a venda direta de produtos da rede para empresas e ainda criou uma operação de marketplace que conecta distribuidores e clientes.

Banco Carrefour

Novo ministro da Educação

O novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, tomou posse nesta quinta-feira (16). No evento, Ribeiro reiterou a necessidade de diálogo com acadêmicos, pelo Estado laico e em favor do ensino público.

O ministro ainda mencionou que o foco de sua gestão é a educação infantil e o ensino profissionalizante.

O cargo estava vago há quase um mês, desde a saída de Abraham Weintraub, após sucessivas polêmicas.

PF indicia Alckmin

A Polícia Federal (PF) indiciou Geraldo Alckmin por corrupção, lavagem de dinheiro e caixa 2.

As investigações foram conduzidas pela Lava Jato a partir de delações do grupo Odebrecht.

Covid-19

O Brasil chegou ontem a 2.014.738 milhões de casos do novo coronavírus. O número de mortes atingiu 76.822, de acordo com o consorcio de veículos de imprensa.