Mercado imobiliário está aquecido em São Paulo, aponta leilão de Cepacs

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Queda na taxa de juros de financiamentos aqueceu o mercado imobiliário -Foto: Gazeta do Povo

Incorporadoras e entidades do setor imobiliário mostram com números que o mercado vem se aquecendo nos últimos meses. Porém, na quinta-feira (5) essa força surpreendeu ainda mais: o leilão de Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepacs), da Operação Urbana Consorciada Faria Lima, realizado pela Prefeitura de São Paulo, movimentou R$ 1,64 bilhão.

Os títulos foram negociados a R$ 17.601, com ágio de 169% do preço inicial, que era de R$ 6.531.

Aumento de potencial

Na avaliação do secretário de Desenvolvimento Urbano da Prefeitura de São Paulo, Fernando Chucre, é provável que a maioria dos certificados tenha sido comprada para aumentar o potencial construtivo de empreendimentos comerciais. Essa é a principal vocação da região da Faria Lima e segmento que possui menos estoques a serem vinculados aos Cepacs.

Aprenda a interpretar o cenário dos investimentos com leituras de 5 minutos. Conheça a EQI HOJE

Nas regiões da Faria Lima e da Juscelino Kubitschek, onde há pouco espaço disponível para locação de escritórios de alto padrão, há um aumento de preços, muito em virtude da expectativa de alavancagem da economia brasileira, do baixo volume de entregas de novos projetos e da redução da vacância.

Além disso, há a escassez de terrenos para os empreendimentos, o que reforça a demanda por Cepacs por parte de quem pretende desenvolver projetos nas áreas abrangidas pela Operação Urbana Faria Lima, indicando o aquecimento do mercado imobiliário.