Mercado bear e bull: entenda o significado das expressões

Natalia Gómez
Editora, é jornalista especializada no mercado de investimentos há 17 anos. Formada pela PUC-SP, teve experiências em veículos como Agência Estado, Valor Econômico e Revista Você SA; e na área de comunicação corporativa e relações públicas para instituições financeiras.

Se você tem interesse no mundo dos investimentos, já deve ter ouvido falar nas expressões mercado “bear” e “bull”. Em português, a tradução seria mercado do urso e mercado do touro.

Mas você sabe de onde vêm estas expressões e o que elas significam?

O impulso do touro

A simbologia do touro é muito conhecida no mercado financeiro. Ela está eternizada na escultura de bronze que fica no distrito de Wall Street, em Nova York.

Confira principais Ações para investir em Outubro

A ideia é que o touro simboliza um movimento de alta, impulsionado pelas suas chifradas.

Quando estamos vivendo um bull market, significa que o mercado está aquecido. Em outras palavras, os investidores estão otimistas e apostando na alta dos ativos.

Com isso, mais gente está comprando do que vendendo, o que leva a uma valorização.

Alguns fatores que podem causar um cenário de otimismo são aumento do Produto Interno Bruto, maior nível de empregos, crescimento na lucratividade das empresas, e queda dos juros, de acordo com a XP Investimentos.

A patada do urso

Já quando temos um bear market, significa que o mercado está em tendência de baixa. A simbologia por trás desta expressão é a patada do urso, que derruba os outros animais.

Neste cenário, as expectativas estão pessimistas. O mercado está apostando numa queda dos preços e os ativos sofrem desvalorização.

Redução na atividade econômica global e nacional, aumento do desemprego e piora na renda são alguns dos sinais que levam ao bear market.

Em geral, os cenários costumam levar alguns anos, pois estão relacionados aos ciclos econômicos dos países.

Exemplos de bull e bear

De acordo com a Investorpedia, não há uma definição exata para o bull market.

No entanto, a mais comum é quando os preços dos ações sobem 20%, geralmente depois de uma queda de 20%, e antes de uma segunda queda de 20%.

Veja abaixo o gráfico da First Trust que mostra estes movimentos do índice S&P 500 ao longo da história:

Fonte: First Trust

Os mercados bear costumam acompanhar recessões globais, como a que ocorre em 2020 com a pandemia do novo coronavírus.

Segundo a First Trust, os bull market duraram, em média, 9,1 anos, com retorno acumulado de 476%.

Já os mercados bear duraram, em média, 1,4 ano e tiveram perda acumulada de 41%.

O que fazer nestes cenários

Quando o mercado está positivo (touro), o investidor consegue aproveitar a tendência de alta das ações. Já em cenários bear, as chances de perdas aumentam drasticamente.

O difícil nestes períodos é saber quando o mercado chegou ao fundo do poço. Nestes momentos, muitos preferem partir para investimentos em renda fixa ou optar por investir em setores defensivos, como energia elétrica e saneamento.

Outra forma de ganhar num mercado urso é apostar em ativos que ganham com a queda dos preços.

Os dois cenários têm um impacto expressivo na vida dos investidores. Mas é importante destacar que o mercado tende a se recuperar depois dos períodos de baixa.

Como usar estas expressões

Embora os mercados do touro e do urso sejam influenciados pelo comportamento real dos ativos, também existe um componente psicológico.

Investidores otimistas são chamados de Bullish, enquanto os pessimistas são chamados de Bearish.

Você também pode usar estas expressões para definir o mercado de ações em geral, o mercado de bonds, assim como ações ou commodities específicas.

Quando os preços estão parados, é usual dizer que o mercado está andando de lado.