Melnick Even (MELK3) estreia na bolsa com queda de 1,76%

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.
1

Crédito: Divulgação

A Melnick (MELK3), subsidiária da Even (EVEN3) com atuação no Rio Grande do Sul, estreou na Bolsa nesta segunda-feira (28).

Na abertura, registrava ligeira alta em relação ao valor fixado no IPO, de R$ 8,50, mas em seguida passou a oscilar.

Dessa forma, encerrou o pregão com queda de 1,76%, cotada a R$ 8,35.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Já o Ibovespa recuou 2,41%.

Sobre a Melnick

A empresa captou na abertura de capital R$ 713,5 milhões, incluindo a venda de lote adicional. O preço do papel ficou no piso da faixa indicativa, de R$ 8,50 a R$ 12,50.

De acordo com a companhia, os recursos serão direcionados para comprar terrenos, reforçar o caixa e ampliar sua atuação no segmento imobiliário. Na oferta, foram vendidos 35,1% do capital social.

A Melnick foi fundada em 1992, no Rio Grande do Sul, pelo empresário do setor Milton Melnick, ao lado de seus filhos Juliano e Leandro. Em 2008, a empresa se associou à Even, que na época era gerida por Carlos Eduardo Terepins, e se tornou o braço gaúcho da companhia. No decorrer dos anos, Terepins foi reduzindo sua participação no negócio e hoje a Even tem como CEO Leandro Melnick, enquanto seu irmão Juliano é CEO da Melnick.

A Melnick Even tornou-se uma das maiores construtoras e incorporadoras do Rio Grande do Sul e também do Brasil. Hoje, tem negócios não só no Estado gaúcho, mas em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerai.

O foco da empresa ao longo dos anos foram os empreendimentos de alto padrão. Porém, desde 2014, a construtora explora também o segmento de baixa renda.