MDias Branco (MDIA3): Planner reduz preço-alvo a R$45, mas mantém compra

Osni Alves
Jornalista (2007); Especializado em Comunicação Corporativa e RP (INPG, 2011); Extensão em Economia (UFRJ, 2013); Passou por redações de SC, RJ e BH (oalvesj@gmail.com).
1

Crédito: Reprodução/iStock Photos

Uma das maiores fabricante de alimentos do país, a cearense MDias Branco (MDIA3) teve seu preço-alvo reduzido de R$50 para R$45 pela Planner. Porém, a recomendação de compra se manteve.

De acordo com a administradora de fundos de investimento, o potencial de valorização dos papeis é de 20,6%. Isso com base no fechamento da cotação de R$37,30. A MDias Branco reportou lucro líquido 89% superior no quatro trimestre do ano passado.

De acordo om o balanço, foram R$264,9 milhões contra os R$139,8 milhões de igual período de 2018. Já o Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) cresceu 52,3% em doze meses, com R$289,2 milhões no quarto trimestre de 2019 ante R$189,9 milhões de igual período em 2018.

Abra agora sua conta na EQI Investimentos e tenha acesso a soluções customizadas de acordo com seu perfil

mdias-branco-piraquê-lucro

Volume de vendas

Na base de comparação, o volume de vendas cresceu 10,8% compensando a redução de 3,2% nos preços médios. Os custos evoluíram em percentual abaixo do crescimento da receita e as despesas operacionais caíram em doze meses.

Segundo o informe, o aumento de utilização da capacidade e a consequente diluição dos custos e das despesas fixas compensaram o aumento do preço do trigo entre os trimestres. Em adição, destaque para o reconhecimento de receitas de créditos tributários.

“Esses aspectos, no seu conjunto, resultaram no crescimento de 52% do Ebitda e da margem que passou de 12% no quatro trimestre de 2018 para 17,1% no quarto trimestre de 2019. Um resultado trimestral acima do esperado, após o direcionamento estratégico da companhia.”

mdiasbranco-piraquê-lucro

Exportação

A empresa destaca o fortalecimento das exportações com foco no incremento de produtividade e maior eficiência. Os números reportados refletem ainda uma estratégia bem sucedida, realizada através da redução dos estoques, maiores volumes e preços nos seus dois principais segmentos (biscoitos e massas).

Ao longo de 2019, a companhia reorganizou sua estrutura comercial com vistas ao aproveitamento das oportunidades de crescimento; realizou o aperfeiçoamento da modelagem de precificação segmentado por canal, mercado e marcas, e foco no aumento da base de clientes.

Outro ponto elencado no relatório foi quanto ao investimento na cadeia de suprimentos e logística, na readequação do quadro de colaboradores e na integração da carioca Piraquê. Como resultado, a linearização dos volumes vendidos, com crescimento sequencial, permitiu a retomada do crescimento dos volumes alinhado à racionalização dos descontos concedidos.

Receita líquida

Os números referentes ao acumulado de 2019, em relação a 2018, mostram crescimento de 1% da receita líquida, atingindo R$6,1 bilhões. Já o Ebitda caiu 17% somando R$772 milhões com margem de 12,6% (-2,8pp) e o Lucro Líquido caiu 23% para R$557 milhões.

“A tendência é de melhora gradual ao longo dos próximos trimestres refletindo as ações realizadas pela companhia, seu modelo de precificação segmentado, a reorganização da estrutura comercial, a retomada de crescimento da Piraquê com melhoria das margens.”