Marfrig (MRFG3) anuncia compra de 24% das ações da BRF (BRFS3)

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Divulgação Marfrig

A Marfrig (MRFG3) informa que adquiriu ações ordinárias de emissão da BRF (BRFS3) que resultaram em uma participação de 196.869.573 ações ordinárias. Esse soma representa aproximadamente 24,23% do capital social da BRF.

“A aquisição da participação na BRF visa diversificar os investimentos da Marfrig em um segmento que possuí complementaridades com seu setor de atuação numa empresa em que a administração vem realizando uma reconhecida gestão”, diz documento da gigante de alimentos.

De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, o valor da transação, feita por meio de leilão na bolsa, chega a aproximadamente R$ 3,2 bilhões. A Marfrig e a BRF não divulgaram valores e não confirmaram oficialmente essa informação.

Marfrig afirma que não há contratos para direito a voto

A Marfrig afirma que não pretende eleger membros para o Conselho de Administração ou exercer influência sobre as atividades da BRF e que não foram celebrados pela companhia contratos ou acordos que regulem o exercício de direito de voto.

A BRF também divulgou nota sobre a operação e reforçou: “Com exceção da participação mencionada, a Marfrig não é titular de outros valores mobiliários ou instrumentos financeiros derivativos referenciados em ações de emissão da Companhia, sejam de liquidação física ou financeira.”

Neste domingo (23), o fundo da Previ, do Banco do Brasil (BBAS3), confirmou a venda de um terço de sua fatia na BRF para Marfrig por R$ 651 milhões, em leilão na B3 (B3SA3).

A participação do Plano 1 da Previ na companhia diminuiu de 9% para 6,04%.

De acordo com o Estadão, fizeram parte da ponta vendedora a Previ, fundo de pensão do BB que dispõe de participação de 9,16% da BRF, e a Kapitalo Investimentos, proprietária de 5%, e outros acionistas.

Segundo a Previ, a compradora das ações, a Marfrig, foi conhecida apenas após o fechamento dos mercados na sexta-feira. “Dos 24,23% que a Marfrig adquiriu, conforme publicado em fato relevante da BRF, apenas 3% referem-se à venda realizada pela Previ no leilão”, afirmou o fundo.

Surgiram, após a divulgação da compra de ações pela Marfrig, especulações a respeito de uma possível fusão com a BRF. A companhia de alimentos com sede em Santa Catarina negou essa informação.

“Até o momento a companhia não dispõe de informação sobre participação relevante da empresa”, diz a nota, segundo o Estadão.