Marfrig (MRFG3) anuncia compra de 24% das ações da BRF (BRFS3)

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Divulgação Marfrig

A Marfrig (MRFG3) informa que adquiriu ações ordinárias de emissão da BRF (BRFS3) que resultaram em uma participação de 196.869.573 ações ordinárias. Esse soma representa aproximadamente 24,23% do capital social da BRF.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo

“A aquisição da participação na BRF visa diversificar os investimentos da Marfrig em um segmento que possuí complementaridades com seu setor de atuação numa empresa em que a administração vem realizando uma reconhecida gestão”, diz documento da gigante de alimentos.

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado.

De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, o valor da transação, feita por meio de leilão na bolsa, chega a aproximadamente R$ 3,2 bilhões. A Marfrig e a BRF não divulgaram valores e não confirmaram oficialmente essa informação.

Marfrig afirma que não há contratos para direito a voto

A Marfrig afirma que não pretende eleger membros para o Conselho de Administração ou exercer influência sobre as atividades da BRF e que não foram celebrados pela companhia contratos ou acordos que regulem o exercício de direito de voto.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

A BRF também divulgou nota sobre a operação e reforçou: “Com exceção da participação mencionada, a Marfrig não é titular de outros valores mobiliários ou instrumentos financeiros derivativos referenciados em ações de emissão da Companhia, sejam de liquidação física ou financeira.”

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

Neste domingo (23), o fundo da Previ, do Banco do Brasil (BBAS3), confirmou a venda de um terço de sua fatia na BRF para Marfrig por R$ 651 milhões, em leilão na B3 (B3SA3).

A participação do Plano 1 da Previ na companhia diminuiu de 9% para 6,04%.

De acordo com o Estadão, fizeram parte da ponta vendedora a Previ, fundo de pensão do BB que dispõe de participação de 9,16% da BRF, e a Kapitalo Investimentos, proprietária de 5%, e outros acionistas.

Segundo a Previ, a compradora das ações, a Marfrig, foi conhecida apenas após o fechamento dos mercados na sexta-feira. “Dos 24,23% que a Marfrig adquiriu, conforme publicado em fato relevante da BRF, apenas 3% referem-se à venda realizada pela Previ no leilão”, afirmou o fundo.

Surgiram, após a divulgação da compra de ações pela Marfrig, especulações a respeito de uma possível fusão com a BRF. A companhia de alimentos com sede em Santa Catarina negou essa informação.

“Até o momento a companhia não dispõe de informação sobre participação relevante da empresa”, diz a nota, segundo o Estadão.

 

 

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.