Marcação a mercado: você sabe o que significa?

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

Se você investe ou deseja investir em renda fixa, como o Tesouro Direto, certamente já se deparou em algum momento com a expressão “marcação a mercado”. Mas você sabe o que significa e como ela afeta seus investimentos?

Essa é uma espécie de atualização, quase sempre diária, a que estão sujeitos os preços dos ativos de renda fixa e as cotas de fundos de investimentos.

Assim, de maneira sucinta, a marcação a mercado permite que você saiba o valor que receberia hoje caso optasse em vender um título ou cota. No caso dos fundos, ela permite saber, por exemplo, qual seria o valor de venda, hoje, de todos os investimentos que fazem parte de sua carteira.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

Como funciona a marcação a mercado

Todos os dias, milhares de investidores negociam seus títulos públicos (e privados) no mercado. Para isso, também observam os movimentos de queda ou de alta nas taxas de juros.

A junção desses e de outros fatores acabam fazendo com que os títulos sejam marcados a mercado. Ou seja, o valor dos títulos acaba sendo corrigido conforme o preço do ativo naquele dia.

Os títulos da modalidade pós-fixado contam com uma correção diária em seu preço, isso de acordo com a taxa de juros a que sua remuneração faz referência.

Já os títulos prefixados são aqueles em que o seu valor é corrigido por um indexador. Ele pode ser a taxa básica de juros (Selic) ou a inflação (IPCA), por exemplo.

Nesse caso, o investidor perceberá uma rentabilidade que tem por base uma taxa que foi predefinida no momento da compra do título mais a variação de um desses indexadores.

Assim, quando há um aumento dos juros no mercado, a remuneração desses títulos sobe. Mas, por outro lado, o seu preço tende a cair. Já o contrário também ocorre.

Crédito da imagem: Banco de Imagens EnvatoElements/By dolgachov

Ainda em dúvida? Então confira esse exemplo de marcação a mercado!

Imagine que você irá adquirir hoje um título do Tesouro Prefixado (LTN) que rende 10% e que possui vencimento em 01/01/2022. Supondo que na data da compra o preço unitário (PU) do título seja de R$ 782 e que na data do vencimento o Tesouro Nacional irá pagar R$ 1.000 por esse título, a diferença desse valor será a rentabilidade do título, que crescerá na proporção de 10% ao ano.

Nesse sentido, o rendimento dessa LTN não pode ser maior que os 10% negociados na data da compra, pois, caso contrário, na data do vencimento o valor do título será menor que R$ 1.000. O contrário também não pode ocorrer.

Assim, se a taxa de juros da economia sobe e o governo passa a remunerar melhor seus títulos, então a tendência é que o preço do PU caia. Já quando a taxa de juros da economia cai, então o preço do PU sobe.

É por esse motivo que os especialistas recomendam a compra de títulos prefixados em cenários de quedas dos juros. Assim, o preço dos títulos irá subir e você poderá vendê-lo pelo preço do PU negociado.

Se ainda resta alguma dúvida, confira este vídeo em nosso canal do YouTube com todas as explicações sobre marcação a mercado dos títulos públicos:

Resgate do Tesouro Direto antes do vencimento vale a pena?

Essa é, com certeza, uma das dúvidas mais frequentes entre os investidores do Tesouro Direto.

Como você viu, os títulos do Tesouro são precificados diariamente pelo mercado. Contudo, se você decide ficar com o título até a sua data de vencimento, então não precisará se preocupar com isso.

Fazer o resgate de um título do Tesouro Direto antecipado pode ser um bom negócio. Mas depende de alguns fatores, como o tipo de ativo e a sua data de vencimento.

Mesmo sendo um ativo de renda fixa, os papéis do Tesouro Direto possuem diferentes perfis de risco. Uns são mais estáveis – como é o caso do Tesouro Selic – e outros mais agressivos, como os títulos de vencimento mais longo.

Com o passar do tempo, o rendimento desses títulos pode variar de forma positiva ou negativa – isso por conta da marcação a mercado.

Se você escolhe vender o seu título em um momento de oscilação negativa, então amargará um prejuízo. Mas se souber aproveitar uma onda de valorização, então poderá ter bons ganhos antes mesmo da data de vencimento.

Assim, antes de fazer o resgate antecipado do Tesouro Direto, analise o atual cenário do mercado de títulos e se atente à diferença entre o preço de compra e o preço de venda desse título. Saiba usar a marcação a mercado a seu favor!

Tal método funciona muito bem com os títulos que são atrelados ao IPCA e os prefixados. Já no caso do Tesouro Selic o resgate antecipado é diferente, pois você não perde dinheiro ao fazer essa operação.

Vale destacar que, caso você não esteja pensando em realizar a venda antecipada, então não perderá a previsibilidade e a segurança comum aos títulos do Tesouro Direto.

Crédito da imagem: Banco de Imagens EnvatoElements/By Elegant01

Como fazer o resgate do Tesouro Direto

Você pode resgatar o seu título do Tesouro Direto a qualquer momento ou na data do vencimento.

Para resgatar títulos que estão vencendo, basta que você fique atento a data e aguarde o prazo de um dia útil para que o dinheiro esteja em sua conta.

Também é possível fazer isso por meio do aplicativo do Tesouro Direto, disponível para dispositivos Android e iOS, por meio de suas respectivas lojas virtuais.

No caso do resgate antecipado, basta seguir alguns passos simples:

  • Faça login na sua plataforma de investimentos;
  • Confira quais são os títulos do Tesouro Direto que estão sob sua custódia e os respectivos valores naquele dia;
  • Caso concorde com o valor, procure a opção “Resgate”;
  • Agora, você deve escolher entre resgatar o valor total do investimento ou apenas parte dele;
  • Decisão tomada? Então basta inserir sua assinatura eletrônica e clicar novamente no botão “Resgatar”.
  • Feito isso, no próximo dia útil o dinheiro do resgate já estará em sua conta bancária.

Vale lembrar que o mercado de títulos públicos possui um horário em que as negociações são feitas. Assim, se você solicitar o resgate entre 9h30min e 18h, então ele já será realizado com preços e taxas atualizados.

Já se o resgate for realizado entre as 18h e 5h nos dias úteis ou nos fins de semana e feriados, o valor do resgate terá como base os preços de abertura do dia útil seguinte.

Entre 5h e 9h30min nos dias úteis o sistema entra em manutenção.

  • Leia também: Quero investir R$ 100 mil e sair da poupança: como começar?

Como funciona o pagamento da venda antecipada

Crédito da imagem: Banco de Imagens EnvatoElements/By vadymvdrobot

O valor líquido do resgate antecipado do Tesouro Direto poderá sofrer algumas interferências em função do preço de mercado (marcação a mercado), das taxas, dos tributos e da taxa de rendimento para a venda.

Por exemplo: você fez a compra de um título pelo valor de R$ 900 a uma rentabilidade de 10% ao ano, mas decidiu resgatá-lo exatamente um ano após a compra.

No momento da venda, o PU era estimado em R$ 1.200, o que é ótimo, pois o valor desse título deveria ser de apenas R$ 990.

Perceba que no momento da venda o seu lucro foi de R$ 210. Ou seja, o papel obteve uma valorização de mais de 17% em apenas um ano.

Contudo, chega a hora de analisar as taxas que envolvem essa operação, que são três no caso do Tesouro Direto:

  • IOF – Imposto sobre Operações Financeiras (só incide se o resgate for feito nos primeiros 30 dias);
  • Taxa de custódia (este valor é zerado para investimentos até R$ 10 mil);
  • Imposto de Renda regressivo.

Após decorrido um ano, o valor cobrado pela taxa de custódia será proporcional ao tempo que se passou desde a última cobrança. Considerando que ela será cobrada em alguns dias, então o valor será de aproximadamente 0,15% sobre o valor do rendimento.

A alíquota de Imposto de Renda descontado pelo período (365 dias) será de 17,5%, mas esse tributo incide apenas sobre o valor dos rendimentos. Assim, ao aplicar esse desconto, o valor líquido no nosso exemplo será R$ 173,25.

Como é possível perceber, nessa situação hipotética o resgate antecipado do Tesouro Direto foi lucrativo. Contudo, é importante ter atenção, pois caso o resgate fosse realizado na primeira semana de investimento, o título não teria rentabilidade.

Vale a pena aproveitar a marcação a mercado?

Como você observou neste artigo, o resgate do Tesouro Direto é um momento de grande importância no processo de investimentos.

Fazer um bom uso da marcação a mercado dos títulos públicos é algo que pode gerar bons ganhos. Por outro lado, também pode fazer com que você perca dinheiro caso não consiga aguardar o melhor momento para o resgate.

Caso você não tenha tempo de fazer a marcação de mercado ou não está preocupado em vender seus títulos antecipadamente, o ideal é aguardar até a data do vencimento para garantir os seus ganhos.

Confira os títulos disponíveis do Tesouro Direto (em 11 de dezembro de 2020):

Títulos do Tesouro Direto - Marcação a Mercado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dúvidas sobre como investir? Tenha um Assessor de Investimento especializado em planejamento financeiro e gestão de patrimônio. Conheça a EQI.