Manifestação contra reforma da Previdência causa bloqueio de portos na França

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Luc Gnago/Reuters

A revolta da população francesa contra as propostas de revisão nas aposentadorias continua causando transtornos por todo o país.

De acordo com as agências de notícia internacionais, os sindicatos de trabalhadores locais bloquearam portos e interromperam o fornecimento de energia por todo o país.

A reforma da Previdência foi o centro do sexto protesto nacional organizado pelos sindicatos e, de acordo com o Ministério do Interior, mobilizou 187 mil pessoas – 23 mil apenas em Paris.

Os números são menores quando comparados aos protestos anteriores, que chegaram a contar com a participação de 800 mil franceses em dezembro e, na semana passada, com aproximadamente 452 mil.

A diminuição no número de pessoas à greve em seu quadragésimo terceiro dia se deu, principalmente, por algumas concessões do presidente Emmanuel Macron e pela pressão que os trabalhadores sofreram para retornar à ativa.

De acordo com a Reuters, no último sábado (11), o primeiro-ministro Edouard Philippe ofereceu retirar da reforma o plano de aumento da idade da aposentadoria se a Previdência tiver o orçamento equilibrado de outra forma.