Mandetta sinaliza demissão: “fico até encontrarem outro”

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Divulgação

A saída de Luiz Henrique Mandetta do Ministério da Saúde parece estar cada vez mais próxima. O ministro desabafou ao site da revista Veja na noite de quarta-feira (15): “Fico até encontrarem uma pessoa para assumir meu lugar”.

Mandetta afirmou que não tem mais jeito de permanecer no governo. “São 60 dias na batalha. Isso cansa”, disse ele à revista.

Segundo ele, nesses dois meses ele constantemente precisava medir as palavras ao falar sobre a pandemia. “Você conversa hoje, a pessoa entende, diz que concorda, depois muda de ideia e fala tudo diferente. Você vai, conversa, parece que está tudo acertado e, em seguida, o camarada muda o discurso de novo. Já chega, né? Já ajudamos bastante”, disse Mandetta em referência ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

Mandetta afirmou disse que não se arrepende de ter entrado no governo Bolsonaro. O ministro evitou dar um palpite sobre a nova linha de trabalho de combate à pandemia após ele sair do cargo. “Não sei, mas acho que o vírus se impõe. A população se impõe. O vírus não negocia com ninguém. Não negociou com o (Donald) Trump, não vai negociar com nenhum governo”, disse.

O ministro afirmou que ainda não sabe quem vai substituí-lo, mas irá ajudar quem entrar. Se quiser nossa ajuda. A gente tem compromisso com o país. Aqui é tudo marinheiro antigo, não tem principiante, ninguém vai torcer contra”, diz Mandetta.

 

Mandetta negou demissão de secretário

Na quarta-feira (15) Mandetta anunciou que que não aceitou o pedido de demissão de Wanderson Oliveira.

Mas na coletiva, Mandetta já havia deixado a porta aberta para sua possível retirada, junto com os demais integrantes da equipe, assim que o presidente Jair Bolsonaro resolver confirmar sua exoneração do cargo.

“Estamos juntos, vamos sair juntos. Não aceito. Estamos todos aqui, juntos e misturados…ainda”, sintetizou Mandetta, revertendo o pedido de demissão do Secretário de Vigilância em Saúde.