Maioria dos brasileiros defende punição para pessoas que violam quarentena, diz Datafolha

Jéssica De Paula Alves
Jornalista e produtora de conteúdo

Crédito: Rovena Rosa/Agência Brasil

O total de 79% dos brasileiros defende  punição para pessoas que violem regras de quarentena ao novo coronavírus. A pesquisa é do Datafolha, mas apesar do grande resultado, somente 3% dos entrevistados acham que a prisão é uma sanção ideal.

As multas têm a aprovação de 43% dos entrevistados. A aplicação de medidas restritivas de circulação de pessoas entrou no debate público na semana retrasada, informou o jornal Folha de São Paulo.

Isso porque o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que poderia considerar usar a detenção como recurso de último caso, se a pandemia se agravasse.

Atualmente não há uma quarentena que impeça as pessoas de ir à rua. Mas apenas determinando o fechamento de comércio não essencial.

Para 18% dos ouvidos pelo Datafolha, os governos não deveriam ter direitos sobre a circulação das pessoas. Outros 3% não souberam responder.

Jovens de 16 a 24 anos e assalariados com carteira registrada somam 48% e estes apoiam as multas. As advertências têm maior apoio entre os mais ricos, com 51%.

Prevenção

O Datafolha pesquisou também a forma com que os brasileiros estão se cuidando para evitar a Covid-19. Os que viver a vida como antes somam apenas 4% dos ouvidos. Já os que se cuidam, mas ainda saem de suas casas eventualmente para trabalhar, o resultado oscilou de 24% para 26%.

Os que saem somente quando necessário, ficaram na margem de 50%. Contudo, os enquanto os que se isolaram totalmente oscilaram para cima, de 18% a 21%.