Mahle (LEVE3) reverte prejuízo de 2TR120 em lucro de R$ 170 milhões no 2TRI21

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Divulgação MAHLE Metal Leve

A Mahle (LEVE3) reportou nesta quinta-feira (12) o seu balanço do segundo trimestre deste ano (2TRI21) com lucro líquido R$ 170 milhões, contra prejuízo de R$ 39,5 milhões no mesmo período de 2020.

Na comparação com o primeiro trimestre deste ano, a empresa avançou 34,7% no lucro líquido. Nos três primeiros meses do ano, o aferido foi de R$ 126,2 milhões.

Já no acumulado do semestre inicial de 2021, o lucro acumulado é de R$ 296,2 milhões, contra prejuízo de R$ 18 milhões no primeiro semestre de 2020.

“O ano de 2021 continua igualmente desafiador, assim como o de 2020”, comentou a empresa em seu relatório trimestral. “Embora tenhamos um cenário com mais aspectos positivos no que diz respeito à pandemia – a vacinação ajuda a criar um ambiente mais favorável – as dificuldades encontradas pelo mercado agora são outras”.

“O mercado de novos veículos no Brasil foi afetado negativamente, sobretudo, pelo problema de abastecimento de semicondutores, enquanto buscava a tão esperada recuperação”, seguiu a empresa. “Este mercado cresceu nos últimos trimestres, e agora enfrenta problemas com a falta de materiais. Em relação ao mercado de veículos seminovos e usados, é necessário retroceder até o 1S20 para um melhor entendimento da dinâmica, quando houve um problema de desabastecimento em função da pandemia e a recuperação desse mercado começou a partir do 2S20, através de um aumento de demanda, que se estendeu até o 1TRI21. No primeiro trimestre de 2021, contudo, ainda houve um impacto da 2ª onda da pandemia”.

A Mahle é uma empresa brasileira de autopeças que atua na fabricação e comercialização de componentes de motores à combustão interna e filtros automotivos.

Ebtida do 2TRI volta a ficar positivo

O Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) ficou em R$ 262,9 milhões no período. No 2TRI20, a medida ficou negativa, com menos R$ 14,9 milhões.

A margem Ebitda atingiu 29,6%, o que representa 33,7 pontos percentuais a mais do que os 4,1% negativos do mesmo período do ano passado.

No primeiro trimestre, a margem Ebitda ficou em 23,9%, de modo que o 2TRI21 conseguiu ampliar em 5,7 pontos percentuais.

Receita líquida de vendas

A Mahle avançou em qualquer comparação possível neste segundo trimestre de 2021, com receita líquida de vendas de R$ 889,1 milhões.

Em relação ao 2TRI20, esse dado representa um aumento de 146,4% (R$ 360,9 milhões).

Com relação ao 1TRI21, que apurou R$ 835 milhões, o aumento foi de 6,5%.

No acumulado do semestre inicial de 2021, a receita líquida de vendas ficou em R$ 1,724 bilhão, 84,5% a mais do que o mesmo período de 2020, com R$ 934,7 milhões.


Divulgação: Mahle

Liquidez

Segundo a empresa, “o risco de liquidez é constantemente monitorado através da gestão de seus recursos de caixa, aplicações financeiras e empréstimos bancários”.

Ao final do segundo trimestre, a Mahle apresentava caixa e equivalentes de caixa no montante de R$ 247 milhões, contra R$ 608 milhões em 31 de dezembro de 2020.

“Em compensação à redução de caixa temos forte redução nos empréstimos e financiamentos, que eram de R$ 552,4 milhões em 31 de dezembro de 2020 passando para R$ 205,3 milhões em 30 de junho de 2021”, explica a empresa. “Até o momento a companhia não observou sinais de inadimplência relevantes ao longo de 2021. A companhia possui linhas de crédito pré-aprovadas em caso de necessidades de novas captações”.

Como medida de preservação do caixa, na Assembleia Geral Ordinária de 29 de maio de 2020, foi deliberada e aprovada a retenção dos dividendos adicionais propostos do exercício de 2019 no montante de R$ 175,6 milhões.

Raio-x do balanço do 2TRI21 da Mahle

Lucro Líquido

  • 2TRI20: R$ 39,5 milhões (prejuízo)
  • 2TRI21: R$ 170,0 milhões (+530,4%)
  • 1SEM20: R$ 18,0 milhões (prejuízo)
  • 1SEM21: R$ 296,2 milhões (+530,4%)

Receita Líquida de vendas

  • 2TRI20: R$ 360,9 milhões
  • 2TRI21: R$ 889,1 milhões (+146,4%)
  • 1SEM20: R$ 934,7 milhões
  • 1SEM21: R$ 1,724 bilhão (+84,5%)

Ebitda

  • 2TRI20: R$ 14,9 milhões (negativo)
  • 2TRI21: R$ 262,9 milhões (+1864,4%)
  • 1SEM20: R$ 76,6 milhões
  • 1SEM21: R$ 462,1 milhões (+503,3%)