Mácron afirma para agricultores que vai lutar pela manutenção de subsídios na UE

Rebeca Torres
null
1

Crédito: Remi Jouan / Wikimedia Commons

No último sábado (22), em conversa com agricultores de seu país, o presidente francês Emmanuel Mácron, afirmou que vai lutar pela manutenção de subsídios agrícolas, no dia seguinte a uma reunião em que foi discutido o orçamento da União Europeia e que acabou em um impasse. As informações são do portal de notícias Terra.

No bate-papo, Mácron ainda prometeu uma recompensa aos produtores de vinho que se viram prejudicados pelas taxações tarifárias praticadas pelos EUA.

Isso porque os líderes de governo da UE cometeram falhas ao buscarem um acordo para o orçamento dos próximos sete anos, já que o déficit de financiamento criado com a saída da Grã-Bretanha, aumentou o debate a respeito das prioridades de gastos orçamentários do país.

Com isso, Mácron deseja que a Europa continue mantendo um grande orçamento para sua Política Agrícola Comum (conhecida como PAC), da qual a França é o principal beneficiário.

“Na PAC defendemos um orçamento ambicioso. A PAC não pode ser a variável de ajuste do Brexit. Precisamos apoiar nossos agricultores”, afirmou Mácron na feira agrícola de Paris. “Não cedemos a quem quisesse reduzir o orçamento (PAC)”.

Assim, baseado nisso, na reunião de representantes da indústria de vinhos, o presidente prometeu obter uma recompensa para tarifas norte-americanas até a primavera, disse o produtor de vinho e secretário-geral do principal sindicato agricultor da França, a FNSEA, Jerome Despey.

Anteriormente, Mácron confessou que ja havia mostrado seu apoio e contribuição para a redução tarifária dos produtores de vinho, alegando que já tinha conversado sobre isso com a Comissão Europeia.

Mesmo assim, na visão de Despey, se a tarifa de 25% imposta por Washington em outubro do ano passado permanecer, o setor teme se sair prejudicado, acabando por perder de 300 a 400 milhões de euros em vendas anuais em seu principal mercado de exportação.