Lucro das empresas de capital aberto sobe 245,7% no 1TRI21

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Shutterstock

As empresas de capital aberto listadas na B3 (B3SA3) acumulam lucro de R$ 33,2 bilhões no primeiro trimestre de 2021. O resultado foi 245,7% maior que o do primeiro trimestre do ano passado, de acordo com as apurações realizadas pela Economática.

Entretanto, para que não houvesse distorção dos dados, o levantamento excluiu o lucro recorde da mineradora Vale (VALE3) neste trimestre. A empresa sozinha acumulou lucro líquido de R$ 30,5 bilhões. Foram retiradas também a Petrobras (PETR4) e a Suzano (SUZB3), que tiveram prejuízos consideráveis em 2020, para evitar grandes distorções no comparativo.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Numa separação por setores, os dados apontam que as empresas de energia elétrica foram o destaque no quesito lucratividade. Conforme a Economática, 32 companhias do setor acumularam R$ 11,7 bilhões em lucro líquido, cerca de 35% do total.

Em segundo lugar, o setor de Siderurgia e Metalurgia com R$ 8,4 bilhões. E, por fim, Alimentos e Bebidas (R$ 5,7 bilhões) e Química (R$ 2,9 bilhões).

Além disso, ao incluir os bancos, seguradores e as empresas que foram deixadas de lado, o lucro das listadas alcança R$ 90,2 bilhões.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

Resultados

Com o final da primeira safra de balanços com base em 2021, a Economatica registrou os maiores lucros e os maiores prejuízos das companhias de capital aberto.

“O lucro Ebit, que é o obtido antes dos encargos financeiros das empresas (juros e variação cambial) no 1º trimestre de 2021 é de R$ 81,5 bilhões. O valor é 101,5% superior ao de 2020”, diz a Economatica, em nota. 

“No 1º trimestre de 2021 o resultado financeiro é de R$ -30,5 bilhões, valor -48,4% inferior ao de 2021. A diminuição do resultado financeiro auxilia no resultado antes de imposto de renda e portanto turbina o lucro líquido das empresas não financeiras.”

Maiores lucros

Como mencionado anteriormente, a Vale lucrou o suficiente para não ser incluída, com R$ 30,5 bilhões.

As cinco posições seguintes foram ocupadas por bancos e a siderúrgica CSN (CSNA3). O Bradesco (BBDC4) acumulou R$ 6,1 bilhões, o Itaú Unibanco (ITUB4), R$ 5,4 bilhões. A CSN teve lucro de R$ 5,2 bilhões. O Banco do Brasil (BBAS3) soma R$ 4,2 bilhões e o Santander (BCSA34), R$ 2,8 bilhões.

Além disso, a Economatica registrou que a receita líquida das empresas no primeiro trimestre de 2021 é de R$ 551,1 bilhões. O valor é superior ao de 2020 em 22,3%.

Maiores prejuízos

O setor de comércio tem cinco empresas na lista dos maiores prejuízos, já o setor de transporte & serviços tem quatro.

Dentre as empresas, o destaque é a Oi (OIBR3). A empresa teve novo déficit de R$ 3,5 bilhões no período e lidera a lista negativa. Em seguida, vêm os prejuízos da Azul (AZUL4), com R$ 2,78 bilhões, a Suzano, com R$ 2,75 bilhões. E, por fim, a Gol (GOLL4), com R$ 2,5 bilhões e Embraer (EMBR3), com R$ 490 milhões.