Lucro de cias abertas cai 81% no semestre; veja outros destaques

Osni Alves
Jornalista (2007); Especializado em Comunicação Corporativa e RP (INPG, 2011); Extensão em Economia (UFRJ, 2013); Passou por redações de SC, RJ e BH (oalvesj@gmail.com).
1

Um levantamento da Economatica com 218 empresas não financeiras mostra que a pandemia atingiu duramente a maior parte das grandes companhias do país.

Segundo o Estadão, passados pouco mais de cinco meses desde que o ministério da Saúde declarou “estado de transmissão comunitária” do coronavírus, a avaliação do impacto da pandemia no mundo dos negócios começa a ganhar base mais sólida para dar sustentação.

Segundo o estudo, as companhias não financeiras de capital aberto tiveram redução de 81,9% no lucro líquido no primeiro semestre de 2020, em relação a igual período do ano passado.

Os ganhos caíram de R$ 49,2 bilhões para R$ 8,9 bilhões.

40 na fila do IPO

A lista de empresas que miram uma abertura de capital em setembro e outubro já inclui mais de 40 empresas.

Segundo o Estadão, perto do fim do prazo para protocolar o pedido de oferta inicial de ações, nos próximos dois meses, novas empresas entraram na fila de estreias na B3, a Bolsa paulista.

Entre elas estão a rede de farmácias Nissei, do Paraná, e a varejista Le Biscuit, com sede na Bahia. O grupo inclui também a Aeris (fabricante de pás eólicas) e duas incorporadoras – a Urbe, da MRV, e a HBR Realty.

Entretanto, diz o jornal, os investidores perceberam que muitas empresas estão tentando abrir capital com a expectativa de preço exagerado para suas ações.

Por isso, é esperada uma onda de ajustes nas avaliações. O movimento deixa um pouco de lado a leitura de euforia por causa de juros baixos e excesso de liquidez no mundo.

O varejo acelera a logística

Em crescimento acelerado, o varejo on-line vem provocando um rearranjo do setor de logística.

Segundo o Valor, empresas como Mercado Livre, Magazine Luiza, B2W e Via Varejo abraçam cada vez mais a gestão da entrega de produtos, conforme avançam as vendas feitas por terceiros em seus shopping centers na internet, os chamados “marketplaces”.

No segundo trimestre, 96% das vendas totais do Mercado Livre no Brasil passaram pelo Mercado Envios, seu braço de logística. Dessa fatia, 51% foi feita pela Melinet, como é chamada a estrutura de serviços logísticos com operação própria, que oferece coleta e entrega de mercadorias, armazenagem e entrega, e entrega expressa.

B2W lança novos serviços e isenta lojista de taxa

Num momento em que a competição no digital se acelera no país, após a pandemia que ampliou a disputa no on-line, a B2W anunciou novos serviços e isenções em cobranças dos lojistas nos próximos meses no seu “marketplace” (shopping virtual). A B2W é dona do Submarino, Americanas.com, Shoptime, entre outros.

De acordo com o Valor, o movimento ocorre após o Mercado Livre e Magazine Luiza terem apresentado nas últimas semanas outros serviços e incentivos para os vendedores do marketplace, plataforma de venda de produtos de terceiros.

João Dória, governador de São Paulo.

Doria derruba Sabesp

Desde que no último dia 19 de agosto o governador João Doria (PSDB) usou a palavra “capitalização” em vez de “privatização” ao falar sobre o futuro da Sabesp, as ações da companhia de água e esgoto de São Paulo acumulam queda de 10%, interrompendo recuperação. No mesmo intervalo, o Ibovespa ficou estável.

Segundo o Valor, o perfil alinhado de Doria com o mercado e suas declarações no sentido da privatização levaram investidores a comprar ações da Sabesp nos últimos anos, crentes de que o governo venderia o controle. Desde que Doria assumiu, a cotação praticamente dobrou.

Questionada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) após a declaração de Doria, a Sabesp apresentou uma resposta do controlador dizendo não haver nada decidido sobre o assunto.

Dimed projeta 50 novas lojas em 2021

A Dimed, dona da rede de farmácias Panvel, vai abrir até o fim do ano 45 lojas, um recorde para a história da Panvel, segundo o diretor financeiro e de relações com investidores da empresa, Antônio Napp.

Conforme o Valor, ele acrescentou que a Dimed já possui acordos encaminhados para inaugurar pelos menos 55 novas unidades em 2021.

Por conta da pandemia de Covid-19, a Dimed postergou temporariamente a abertura de novas lojas ao longo do segundo trimestre, como forma de proteger o caixa e reduzir os custos durante o período.

Com a melhora do cenário, retomou os investimentos em novas lojas no fim do segundo trimestre.

Governo reduz exigências para privatização de 22 aeroportos

Em meio a um cenário de retração da aviação civil em todo o mundo devido à pandemia do novo coronavírus, o governo brasileiro trabalha para lançar o edital da 6ª rodada de concessão de aeroportos ainda neste ano, com previsão de leilão até março de 2021.

Conforme o Globo, o governo revisou para baixo exigências de outorga mínima, requisitos para a participação no edital e projeções de demanda para tentar atrair interessados.

No mercado, as modificações são tidas como positivas, mas o momento ainda é visto como incerto por grandes operadores.

Ao todo serão 22 aeroportos divididos em três grandes blocos regionais (Sul, Norte e Central) que serão transferidos à iniciativa privada por 30 anos.

As minutas dos editais já haviam sido submetidas a consulta pública e estavam no Tribunal de Contas da União (TCU) quando o governo revisou os projetos, que passaram por uma nova fase de consulta pública e devem voltar ao TCU.

Coronavírus

De acordo com o consórcio de imprensa formado para cobrir a pandemia do novo coronavírus, os números no Brasil estão assim:

Casos confirmados: 3.862.311;
Recuperados: 3.0311.559;
Mortes: 120.828.