Lucro da Shell cai para US$ 871 milhões no quarto trimestre

Bruno de Oliveira
Jornalista e técnico em administração e negócios.
1

Crédito: Reprodução / Facebook

A Royal Dutch Shell, considerada uma das maiores petrolíferas do mundo, teve redução significativa no lucro atribuível aos acionistas no quarto trimestre de 2019, somando US$ 871 milhões. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (30) pela empresa, que atribuiu o resultado a desafios macroeconômicos e a quedas nos preços do petróleo e gás.

O valor leva em consideração o custo atual de suprimentos (CCS) e está muito abaixo da receita apurada no período de julho a setembro, de US$ 6,081 bilhões.

No ano passado, o lucro líquido destinado aos acionistas e que exclui itens identificados somou US$ 16,462 bilhões ante os US$ 21,404 bilhões registrados em 2018, uma diferença de 23%.

Recompra de ações

A empresa também anunciou hoje a nova etapa do programa de recompra de ações. Até o momento, a companhia já recomprou quase US$ 15 bilhões em títulos por cancelamento.

Em 2019, mais de US$ 25 bilhões em lucros e participações readquiridas pela petrolífera foram divididos entre os proprietários de ações da Shell, declarou Ben Van Beurden, CEO da organização.

Segundo o executivo, “a força da estratégia e do portfólio da Shell permitiu a entrega de desempenho competitivo de fluxo de caixa em 2019, apesar das condições macroeconômicas desafiadoras em refino e produtos químicos.”

Van Beurden disse ainda que foram gerados “US$ 47 bilhões em fluxo de caixa a partir de atividades operacionais, excluindo movimentos de capital de giro.”