Lucro da Engie (EGIE3) cai 18,9% no balanço do quarto trimestre

Omar Salles
null
1

Crédito: Divulgação/Engie

A Engie Brasil (EGIE3), geradora e transmissora de energia, publicou balanço na noite desta terça-feira (19) e informou um lucro líquido de R$ 617,5 milhões no quarto trimestre do ano passado.

O resultado representou uma queda de 18,9% em comparação a igual período de 2018.

Os números do balanço da Engie incluem a aquisição da TAG, que foi um fato não recorrente.

Consulte os melhores diálogos e insights da Money Week.

A receita líquida da Engie Brasil, contudo, cresceu 11,5% no período, para R$ 2,79 bilhões no quarto trimestre de 2019.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA, na sigla em inglês) foi de R$ 1,3 bilhão no quarto trimestre do ano passado, uma expansão de 18,2% sobre igual período do ano anterior.

O que você verá neste artigo:

Dividendos

A Engie Brasil informou ontem em balanço que pagará dividendos de R$ 949,7 milhões aos acionistas, em data a ser definida por Assembleia.

Dívida

Os resultados da Engie no quarto trimestre mostram que a dívida da empresa cresceu consideravelmente, 48,6%, de R$ 6,8 bilhões no quarto trimestre de 2018 para R$ 10,1 bilhões no quarto trimestre de 2019.

O crescimento da dívida ocorreu porque a subsidiária brasileira participou com recursos da aquisição da TAG – foram mais de R$ 3 bilhões – e os preços da energia subiram no ano passado.

A Engie é geradora e vende energia, mas também compra, como transmissora.

TAG

No ano passado, a Engie Brasil comprou a TAG – Transportadora Associada de Gás S.A., em parceria com suas matrizes, a francesa Engie S.A. e a canadense Caisse de Dépôt et Placement du Québec (CDPQ).

Os franceses e os franco-canadenses, além da sua subsidiária brasileira, pagaram R$ 35 bilhões na TAG, vendida por uma subsidiária da Petrobras (PETR3 e PETR4).

Foi o maior investimento da Engie em mais de 20 anos de atuação no mercado brasileiro.

Os gasodutos da TAG transportam gás natural do Rio de Janeiro ao Ceará, passando por sete estados ao longo da costa, e o transporte interno na Bacia do Solimões, no Estado do Amazonas.

Custos

O balanço mostra que os custos operacionais da Engie Brasil avançaram 15,9% no ano passado, para R$ 5,6 bilhões. Segundo a companhia, houve aumento de R$ 531 milhões nos custos da compra de energia.

Segundo a Engie, a Petrobras já assinou um contrato para usar o gasoduto por dez anos, ocupando 99% da sua capacidade.

2019

No ano fechado de 2019, a Engie Brasil teve lucro líquido de R$ 2,3 bilhões – resultado 0,2% menor ao de 2018.  O EBITDA da Engie Brasil cresceu 18,2% em 2019 para R$ 5,1 bilhões.

A receita operacional líquida da empresa cresceu 11,5% em 2019, para R$ 9,8 bilhões.

Em um cálculo livre, a relação dívida líquida sobre o EBITDA ainda está em 1,9 vezes (1,9x), o que não é uma alavancagem muito alta.