Lojas Renner (LREN3): por potencial de ganho, gestora reitera compra da varejista

Osni Alves
Jornalista | osni.alves@euqueroinvestir.com
1

Crédito: Lojas Renner (LREN3): com foco na retomada, gestora reitera compra da varejista

A Lojas Renner (LREN3) divulgou balanço ontem, registrando expressiva queda no lucro, mas, por seu potencial de ganho, a XP Investimentos reiterou a compra da varejista.

De acordo com o analista Pedro Fagundes, o preço-alvo para a Lojas Renner está mantido em R$ 50 por ação. “Os resultados vieram conforme esperado, por conta da crise”, disse.

Isso porque com o fechamento temporário das lojas a partir da segunda quinzena de março, a companhia reportou uma queda de 10,7% a.a., nas vendas no conceito mesmas lojas.

Entretanto, os impactos relacionados à Covid-19 nas operações de varejo e financeira já eram amplamente antecipados pelo mercado.

Fagundes diz reconhecer que a perspectiva de curto prazo para a companhia continua desafiadora em meio ao cenário atual.

lojas-renner

LREN3: análise dos resultados

Conforme Fagundes, a Renner reportou resultados fracos referentes ao primeiro trimestre de 2020 por conta da queda nas vendas.

O desempenho foi negativo impactado, principalmente, pelo fechamento de 100% da base de lojas a partir da segunda quinzena de março.

Ele ressalta que, de acordo com a companhia, o ritmo de crescimento até o dia 13 de março estava em patamares similares ao quarto trimestre de 2019, sendo alta de 6,2% a.a.

O Ebitda da operação de varejo apresentou uma contração de 39,8% na comparação anual, alcançando R$ 195 milhões.

A margem Ebitda de 12,6% contraiu 7,1 p.p a.a., pressionada pelo aumento de 12,2% a.a., de despesas operacionais, enquanto a margem bruta de 55,4% permaneceu estável em relação ao ano anterior.

As iniciativas de redução de despesa foram implementadas de maneira mais significativa apenas a partir do mês de abril.

LREN3: resultado operacional

Segundo o analista, o resultado operacional da operação de serviços financeiros da Renner atingiu R$ 21 milhões, abaixo da estimativa de R$ 35 milhões, contraindo 78,8% a.a.

Isso aconteceu principalmente em função do aumento acima do esperado no nível de provisões de crédito (R$ 199 milhões vs. R$ 73 milhões no 1T19), conforme a companhia reforça as reservas para cobertura de potenciais perdas (17,3% no 1T20 vs. 12,2% no 1T19).

Por fim, o lucro líquido de R$ 10 milhões, levemente acima da nossa expectativa de R$ 4 milhões, apresentou contração de 94% a.a., também afetado por uma maior despesa financeira no trimestre.

LREN3: reação neutra

De acordo com Fagundes, a XP mantém visão de reação neutra, visto que a gestora já esperava trimestre desafiador, principalmente impactado pelo fechamento temporário das lojas.

Ao longo dos últimos dois meses a companhia reforçou o caixa de maneira relevante, com R$ 1,8 bilhão em emissões de novas linhas de crédito a taxas atrativas no cenário atual (em torno de CDI + 3%).

“Dessa forma, acreditamos que a Renner terá fôlego não só para atravessar o período mais crítico da crise, mas também para continuar investindo nas alavancas de crescimento corretas, como e-commerce e multicanalidade”, disse.

Em meio à alta incerteza, Fagundes diz acreditar que a atenção dos investidores permanecerá voltada principalmente para a evolução dos resultados ao longo da retomada gradual das atividades (18% da base de lojas da Renner em funcionamento).

Também para as tendências dos principais indicadores de consumo ao longo dos próximos meses, como desemprego, renda e confiança.

Veja o desempenho da LREN3 na Bolsa:

Fonte: tradingview.

BB: perda de alavancagem muito grande

Levantamento do BB Investimentos indica que o resultado da Renner no primeiro trimestre de 2020 apresentou perda de alavancagem operacional superior às expectativas.

Em contraponto ao resultado apresentado, a companhia vem tomando medidas para reduzir suas despesas com vendas e G&A e adaptá-las ao cenário atual, além de focar no crescimento do e-commerce.

Dada sua exemplar capacidade de execução, o BB diz esperar nos próximos resultados um aumento expressivo das vendas pelo canal digital, amparada pela omnicanalidade desenvolvida ao longo dos últimos anos.

Também uma queda de despesas com vendas e G&A em linha com as medidas tomadas pela companhia para reduzir o impacto negativo que a redução da receita do varejo gerou na alavancagem operacional ao longo do último trimestre.

O BB destacou, contudo, que a Lojas Renner obteve êxito em ação judicial referente à exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS/COFINS neste mês.

Com isso, a companhia tem o direito de reaver, perante compensação, um valor total de R$ 1,3 bilhão, sujeito ainda a procedimento administrativo para aproveitamento do referido crédito.

“Até incorporarmos esse crédito fiscal ao nosso valuation, bem como os resultados do 1T20, mantemos o preço-alvo em R$ 37,10 e nossa recomendação Market Perform”, informou.