Lojas Renner (LREN3) emite debêntures; Renova (RNEW4) aumenta capital

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução / Lojas Renner

A Lojas Renner (LREN3) divulgou nesta segunda-feira (1º) os dados da sua 12ª emissão de debêntures. Ela será em série única e pretende levantar R$ 1 bilhão.

A destinação dos recursos é para “reforço de capital de giro e manutenção do nível de caixa mínimo estratégico” da empresa.

As debêntures terão valor unitário de R$ 1 mil e serão emitidas 1 milhão de unidades, com vencimento de quatro anos – portanto, em 18 de fevereiro de 2025. Elas não serão atualizados monetariamente.

Análises e Resumos do mercado financeiro com leituras de 5 minutos. Conheça a EQI HOJE

“O saldo do valor nominal unitário das debêntures”, explica as Lojas Renner, “será amortizado em duas parcelas, anuais e consecutivas, nas respectivas datas de amortização, sendo a primeira parcela devida em 18 de fevereiro de 2024 e a segunda em 18 de fevereiro de 2025”.

A remuneração se dará pela taxa DI, acrescida de uma sobretaxa equivalente a 1,60% ao ano.

Renova (RNEW4) aprova aumento de capital

A Renova (RNEW3 RNEW4 RNEW11) aprovou nesta segunda o aumento do capital social, por subscrição privada de ações, “dentro do limite do capital autorizado”.

A Renova Energia está em recuperação judicial.

O aumento aprovado foi de até R$ 1,420 bilhão, sendo admitida a homologação parcial, caso o valor subscrito seja igual ou superior a R$ 332,415 milhões que corresponde ao valor dos créditos a serem capitalizados.

“O aumento de capital e o seu valor definitivo estão sujeitos a homologação pelo Conselho de Administração, após encerrados os prazos de exercício do direito de preferência e de subscrição de sobras pelos titulares de direitos de subscrição”, informa a empresa.

Irani (RANI3) paga dividendos e JCP

A Irani (RANI3 RANI4) aprovou a distribuição de dividendos intercalares aos acionistas, no valor total de R$ 10,361 milhões. O valor corresponde a R$ 0,040738 por ação ordinária, aos acionistas detentores de ações em 4 de março de 2021.

“O montante dos dividendos intercalares aprovados, juntamente com os dividendos declarados no 2º e 3º trimestres de 2020, perfazem 25% do lucro líquido apurado nas demonstrações financeiras da companhia de 31 de dezembro de 2020”, explica a Irani.

Além disso, a empresa aprovou aditivo ao Contrato Particular de Locação Industrial da Unidade de Indaiatuba (SP), assinado em 2006, com valor mensal do aluguel de R$ 275.022,32 (até dezembro de 2020), e corrigido pelo IGPM anual de 23,14%. O valor passou, a partir de janeiro de 2021, para R$ 338.659,86.