Lojas Americanas (LAME4) e B2W (BTOW3) estudam potencial combinação de negócios

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

As Lojas Americanas (LAME4) e a B2W (BTOW3) anunciaram nesta sexta-feira (19) que estão estudando uma potencial combinação de negócios.

Os conselhos de administração das empresas aprovaram o início de um estudo com o objetivo de maximizar a experiência do cliente.

Segundo a Lojas Americanas, o conselho de administração da B2W determinou a formação de comitê especial independente, composto exclusivamente por seus três conselheiros independentes, em cumprimento às disposições do termo de voto e outras avenças.

Simule o rendimento de seus investimentos em Renda Fixa e calcule retorno das aplicações

O comitê independente de B2W, apoiado pelos assessores que vier a contratar, conforme a sua conveniência, negociará com a administração da Americanas a estrutura e demais termos e condições da transação. As recomendações serão submetidas ao conselho de administração da B2W.

Equatorial (EQTL3) informa mudança acionária

A Verde Asset Management informou à Equatorial (EQTL3) que fundos sob sua gestão detêm agora 5,07% do total de ações.

Assim, a Verde tem agora 51.204.855 ações ordinárias da Equatorial.

Fertilizantes Heringer (FHER3) vende fábrica em MG

A Fertilizantes Heringer (FHER3) anunciou que vendeu sua fábrica Fábrica em Minas Gerais.

O contrato de compra e venda foi feito com a Agro industrial São Luiz, empresa do Grupo Cibrafértil, e CMOC Brasil Mineração, Indústria e Participações.

A Fertilizantes Heringer se comprometeu a vender o prédio industrial emplacado com o número 21.930, pela Avenida Filomena Cartafina, Distrito Industrial III, na Cidade de Uberaba, Estado de Minas Gerais.

A Planta Uberaba encontrava-se alienada para a interveniente anuente. Dessa forma, o crédito por ela detido era extraconcursal, motivo pelo qual a venda foi realizada de forma alheia à recuperação judicial.

O preço ajustado para a venda foi de R$ 55 milhões a ser pago em três prestações anuais, diretamente à conta bancária da interveniente anuente.