Log-In (LOGN3): terminal vence processo para explorar porto em Vitória (ES)

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Log-In (LOGN3) registra prejuízo de R$ 14,8 mi no 2TRI, revertendo lucro na comparação anual

A Log-In (LOGN3) informa que concluiu processo em que sua subsidiária TVV (Terminal de Vila Velha) obteve a melhor classificação para explorar provisoriamente a área nº 5 do Porto Organizado de Vitória (ES).

O edital de processo seletivo foi organizado pela Companhia Docas do Estado do Espírito Santo (Codesa),

O projeto compreende, segundo a Log-in, a exploração transitória de uma área de 54.086 m² pelo prazo de 180 dias.

Abra agora sua conta na EQI Investimentos e tenha acesso a soluções customizadas de acordo com seu perfil

“A companhia movimentará carga geral de veículos, reforçando a sua participação no Porto Organizado de Vitória, e a ampliação dos serviços ofertados à sua base atual e potencial de clientes”, explica a empresa em nota ao mercado.

Após a apresentação dos documentos de qualificação, a Log-in foi declarada habilitada em 23 de dezembro de 2020 e o processo seguiu para apreciação da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ).

“Uma vez publicada a resolução autorizativa da ANTAQ, a companhia será convocada para a assinatura do respectivo contrato de transição em até cinco dias úteis”, completa.

Small Caps: LWSA3 e STBP3 são ações mais recomendadas para janeiro

Dividendos: ENBR3, TAEE11 e BBSE3 são ações mais recomendadas para janeiro

Totvs (TOTS3) confirma que avalia aquisição da RD Station

A Totvs (TOTS3) comunica que recebeu questionamento apresentado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) após notícia divulgada sobre a disputa da empresa com a Locaweb  pela RD Station.

“A companhia esclarece que avalia e discute potenciais aquisições, parcerias e outras oportunidades de negócios, de forma geral, para dar cumprimento ao seu plano estratégico”, explica a Totvs.

A empresa pondera que, até agora, “não foi firmado documento vinculante relativo à concretização da transação, não havendo garantias sobre os possíveis desdobramentos acerca do tema.”

A empresa de marketing digital RD Station, com sede em Florianópolis, está sendo disputada pela Totvs (TOTS3) e pela Locaweb (LWSA3). A cifra poderia chegar a R$ 1 bilhão, segundo reportagem do Estadão.

Fundada em 2011, a RD Station trocou de nome em dezembro do ano passado (antes era Resultados Digitais) já de olho na internacionalização. É líder do setor de marketing digital e controlada por um dos maiores fundos globais de tecnologia, o norte-americano Riverwood.

O faturamento da empresa é de cerca de R$ 150 milhões por ano. Porém, tem uma expansão média anual de 50%.

Segundo apurou o Estadão, a negociação, coordenada pelo Morgan Stanley, está na fase final do processo de venda.

A batalha é entre a Locaweb, que fez IPO em fevereiro de 2020, e a Totvs, que disputou a compra da Linx no ano passado (e perdeu para a Stone). Quem vencer a disputa pela RD Station deverá fazer uma oferta de ações na B3 para financiar a operação.

Para as duas interessadas no negócio a efetivação da compra significará a entrada em um novo segmento, com potencial para alavancar os negócios – o marketing digital tem sido a bola da vez nos últimos anos.

RD Station virou referência

Desde o IPO em fevereiro, a Locaweb já fez cinco aquisições. Assim, seu valor de mercado cresceu 4,5 vezes no ano passado. Já a Totvs possui um valor de mercado maior (R$ 15 bilhões) do que a Locaweb (R$ 10 bilhões).

Criada como um blog, a RD Station ganhou corpo rapidamente e tornou-se referência em marketing digital na América Latina.

Apoiada na plataforma RD Station e nos megaeventos que reúnem dezenas de palestrantes internacionais todo o ano, a startup cresceu tanto em números quanto em visibilidade.

A empresa tem mais de 25 mil clientes em 20 países, além de 700 funcionários.

A RD Station recebeu um aporte de R$ 200 milhões do Riverwood Capital em 2019. Até então foi o maior valor recebido por uma empresa da América Latina no segmento de SaaS (software-as-a-service).

Inepar (INEP4): alteração acionária relevante

A  Inepar (INEP4) reporta que o acionista Roberto Veiga Hinrichsen atingiu a participação acionária de 8,00% das PNs.

O acionista atingiu a participação representada por 253.000 ações.

“Cabe salientar que a aquisição foi efetuada como estratégia de investimento e não objetiva alterar a administração ou a composição do controle da sociedade”, informa a Inepar.

B3 (B3SA3): banco suspende China Mobile

O Banco B3 (B3SA3), atual depositário e emissor do Programa de BDR Nível I Não Patrocinado da China Mobile, informa que publicado atualização da lista de restrições em que consta essa companhia.

Na quinta (7) a New York Stock Exchange (NYSE) anunciou a suspensão e deslistamento do ADR da companhia sob o código de negociação CHL.

“Ressaltamos que o livro estará fechado para as operações de emissão e cancelamento a partir de 11 de janeiro de 2021, bem como a suspensão das negociações deste programa no mercado secundário”, diz a B3, em comunicado.

“O Banco B3 divulgará um novo comunicado posteriormente o detalhando o tratamento sobre as posições de BDR.”