Linx (LINX3): valor de negócio com a Stone sobe a R$ 6,28 bi

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.
1

Crédito: Divulgação/Linx

A Linx assinou nesta terça-feira (1) com a STNE Participações e a StoneCo um aditivo ao acordo de combinação de negócios que tinha sido anunciado em 11 de agosto.

No aditivo foi elevado o valor de resgate das ações aos acionistas da Linx pela STNE se o negócio for aprovado. Assim, após a incorporação das ações da Linx e resgate das ações preferenciais Classes A e B da STNE, cada ação da Linx receberá uma parcela em dinheiro de R$ 31,56, e 0,0126774 ações classe A de StoneCo, negociadas na Nasdaq. Com base na cotação de fechamento do dia 31 de agosto de 2020, essa relação de troca corresponde a um valor por ação da Linx de R$ 35,10, informa o documento. Anteriormente era de R$ 33,76.

Desta forma, o valor a pagar pela Stone passaria de R$ 6,044 bilhões para R$ 6,283 bilhões.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Além disso, o aditivo também prevê a redução do valor de multas. A multa compensatória passou de R$ 605 milhões para R$ 453,75 milhões e a multa em caso de não aprovação da operação pelos acionistas da Linx passou de R$ 151 milhões para R$ 112,50 milhões.

A Linx informou ainda que a negociação do aditivo foi conduzida pelos membros independentes do conselho de administração, auxiliados pelos assessores financeiros da companhia e por assessores jurídicos. E a assinatura do aditivo foi aprovada pelos membros independentes do conselho, mas com abstenção de voto dos acionistas fundadores da Linx, Nercio  José  Monteiro  Fernandes, Alberto  Menache  e Alon  Dayan.

A STNE e os fundadores da Linx também renegociaram os termos dos acordos de não-competição e de não-aliciamento. Para isso, foram assinados instrumentos aditivos, desvinculando esses acordos do acordo de associação e readequando os valores de indenização em decorrência da obrigação de não-competição.

Também foi revisada a proposta de contrato de prestação de serviços envolvendo o CEO da companhia regulando a relação futura da STNE, com alteração do objeto, a estrutura, o valor e o prazo da proposta de contratação.

Totvs (TOTS3) e Linx

Em relação à proposta apresentada pela Totvs S.A. à Linx em 14 de agosto de 2020, três dias depois da oferta da Stone, com prazo de validade de 30 dias, os membros independentes do conselho de administração informaram que têm sido feitas reuniões e tratativas para o detalhamento da proposta.

Neste momento, estão em discussão ainda a entrega pela Totvs de minutas propostas para implementação da operação de fusão e a definição do cronograma e das condições negociais para implementação do negócio proposto. Isso inclui aprovações societárias e regulatórias, como do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da Securities and Exchange Commission dos EUA (SEC), e as consequências da sua não-obtenção.

“Diante de tais fatos, os membros independentes do Conselho de Administração da Linx entendem que ainda carecem de elementos importantes para ter uma melhor compreensão de todos os benefícios e riscos da proposta da Totvs e, com base nisso, apresentar aos acionistas sua recomendação a este respeito”, diz a empresa no comunicado.