Linx (LINX3): minotários querem que a empresa apresente duas propostas

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Linx /Divulgação

A Linx (LINX3), plataforma de software para o varejo, está no centro de uma disputa que tem mexido com o mercado. No momento, a empresa tem na mesa duas propostas de fusão: uma da Stone e outra da Totvs. Acionistas minoritários querem que a empresa apresente ambas propostas para sua aquisição na mesma assembleia.

Eles querem que as duas propostas sejam analisadas simultaneamente e não separadamente.

Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, o receio é que apenas a da Stone seja apresentada para o aval dos acionistas.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

A Linx detém 45% do mercado de sistemas de gestão para o setor varejista,

Entre seus principais clientes estão nomes como Boticário, Natura, Centauro, Tok&Stok, Ipiranga e Drogaria São Paulo.

Linx assina aditivo

A Linx assinou nesta terça-feira (1) com a STNE Participações e a StoneCo um aditivo ao acordo anunciado em 11 de agosto.

O valor de resgate das ações aos acionistas da Linx pela STNE foi elevado.

Assim, após a incorporação das ações da Linx e resgate das ações preferenciais Classes A e B da STNE, cada ação da Linx receberá uma parcela em dinheiro de R$ 31,56, e 0,0126774 ações classe A de StoneCo, negociadas na Nasdaq.

Com base na cotação de fechamento do dia 31 de agosto de 2020, essa relação de troca corresponde a um valor por ação da Linx de R$ 35,10.

Anteriormente era de R$ 33,76.

Desta forma, o valor a pagar pela Stone passaria de R$ 6,044 bilhões para R$ 6,283 bilhões.

Polêmica

Segundo o Estadão, o novo acordo manteve os pontos polêmicos.

Um deles é o acordo de não competição.

“Na prática, a proposta, segundo a visão de minoritários, renderá um prêmio aos fundadores”, informa a matéria.

Tal prática é vetada a empresas que participam do Novo Mercado da B3, como é o caso da Linx.

A proposta da Stone já foi aprovada por acionistas e protocolada na SEC (Securities and Exchange Commission), nos Estados Unidos.

A SEC é o equivalente naquele país à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Um grupo de acionistas da Linx chegou a se articular em agosto para possivelmente chamar uma assembleia com o objetivo de destituir o atual conselho de administração da companhia.

A gestora Fama iniciou os questionamentos sobre os valores envolvidos nesse acordo.

Lado da Totvs (TOTS3)

Já a Totvs deve enviar o formulário F-4 para SEC o quanto antes, segundo o Estadão.

Assim, não há “nenhum obstáculo existente para que sejam atendidos o melhor interesse dos acionistas da Linx”.

Para a Totvs, é “fundamental que as propostas disponíveis sejam submetidas simultaneamente na mesma assembleia geral, no contexto dos deveres fiduciários dos conselheiros independentes e da preservação do pleno direito de escolha dos acionistas da Linx”.