Linx (LINX3) compra 40% da Neomode de olho em ominichannel

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

A Linx (LINX3) anunciou nesta sexta-feira (2) a compra de 40% da Neostore Desenvolvimento de Programas de Computadores, dona do app Neomode. O objetivo principal é o desenvolvimento e fornecimento de soluções que integram canais online e lojas físicas.

Pela participação, fica comprometida a pagar R$ 7 milhões após a aprovação da transação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). Até a aprovação, as duas empresas permanecem atuando de forma independente.

Nessa integração está incluído o conceito omnichannel com a utilização de seu aplicativo e integrador da Neomode. Para a Linx, este é mais um passo para fortalecer as soluções de omnichannel focadas em pequenos e médios varejistas.

Lojas Americanas (LAME4) conclui aquisição de 70% de dona da Imaginarium

As Lojas Americanas (LAME4) concluiu a aquisição de 70% do Grupo Uni.co. Esta é dona de marcas de lojas no varejo como Imaginarium, Puket, MinD e LoveBrands.

Também ficou acertada uma opção para que a Lojas Americanas adquira a totalidade da companhia em até três anos. O que irá depender da performance dos negócios.

No mesmo comunicado, as Americanas também informaram que concluiu a compra da Shipp do Brasil Tecnologia, uma startup de delivery on demand.

OceanPact (OPCT3) faz acordo com Petrobras (PETR3 PETR4)

A OceanPact Serviços Marítimos (OPCT3) firmou na quinta-feira (1) um acordo com a Petrobras (PETR3 PETR4) para serviços de inspeção e ancoragem.

O contrato tem prazo de duração de 730 dias e tem backlog de R$ 206,9 milhões. Deste total, são R$ 156,4 milhões firmes, sendo 61% em dólar. A cotação base é de 19/04/2021, com a divisa norte-americana a R$ 5,575.

Vale (VALE3) encerra manutenção de carregador de navios em terminal

A Vale (VALE3) anunciou nesta sexta-feira (2) a conclusão do carregador de navios 6 (CN6), que estava em manutenção no Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, em São Luís, no Maranhão.

De acordo com a companhia, os trabalhos não afetaram os cronogramas dos embarques de minério de ferro.  Mais de 60% dos equipamentos foram trocados.

O trabalho foi executado porque um incêndio, ocorrido em 14 de janeiro deste ano, havia afetado o local.

Diante disto deste quadro e para poder realizar a manutenção necessária, a Vale precisou fazer os embarques de minério de ferro pelo carregador de navios 7 (CN7). Este não foi afetado pelo fogo e pôde realizar as atividades que eram necessárias para a empresa.

A mineradora informou ainda que o incêndio não deixou danos ambientais ou vítimas humanas.